Parceiro

domingo, 17 de junho de 2012

Suspeita de fraude em concursos públicos é investigada no RS



MP investiga compra de vagas por até R$ 900 em pelo menos 4 concursos.
Possível troca de favores entre prefeituras pode estar ocorrendo no estado.

Uma suspeita de fraude em concursos envolvendo empresas e prefeituras é investigada em várias cidades do Rio Grande do Sul. A Polícia Civil realizou uma operação na manhã desta quarta-feira (6) em nove endereços de duas cidades do Norte do estado. Os alvos principais são as sedes de uma empresa de Constantina e outra de Ronda Alta. Também foram feitas buscas em uma gráfica e nas casas dos sócios. Foram apreendidos computadores e centenas de documentos.
As empresas que promovem concursos são suspeitas de fraudes na aprovação de candidatos. Na prefeitura de Novo Barreiro, na Região Noroeste, por exemplo, o Ministério Público investiga a compra de vagas por até R$ 900 em pelo menos quatro concursos. O dinheiro teria sido descontado na folha de pagamento dos beneficiados, que já eram funcionários temporários.
"A tática que se identificou em alguns casos, de não se colocar o candidato predileto, favorito, em primeiro lugar para não chamar a atenção, mas em uma posição mais abaixo na escala de classificação. Mas os candidatos que estariam à frente eram meramente figurantes, já foram aprovados em outros concursos ou estavam destinados a assumir outras funções públicas", disse o promotor de Justiça de Palmeira das Missões, Marcos Rauber.
Procurados pela reportagem, os sócios das empresas não aceitaram gravar entrevistas. Só a empresa de Constantina está organizando 23 concursos em municípios do Norte gaúcho. Mas as suspeitas se espalham por outras regiões do Rio Grande do Sul. Vereadores de duas cidades na Região Central abriram CPIs para investigar uma possível troca de favores entre prefeituras. A sobrinha do prefeito de Formigueiro foi aprovada no concurso de Nova Palma. Em troca, um filho do prefeito de Nova Palma teria sido aprovado irregularmente em Formigueiro, onde o concurso, feito pela mesma empresa, foi suspenso pela Justiça.
"Várias pessoas ligadas à administração que passaram nos concursos", disse o presidente da Câmara de Nova Palma, Jossandro Marion.
Os prefeitos das duas cidades envolvidas não quiseram se manifestar. Outra denúncia é investigada pelo Ministério Público em Coronel Bicaco, no Noroeste do estado. O prefeito é suspeito de vender os gabaritos para duas candidatas que fizeram a denúncia depois de serem reprovadas. A assessoria jurídica da prefeitura negou as acusações.


FONTE: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros

Parceiros