Parceiros

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O Biodigestor


Biodigestor é mais uma chance de solução de geração de energia renovável (biogás) e ao mesmo tempo oportunidade de transformar dejetos orgânicos em adubo orgânico (biofertilizante).

É um processo destinado a produção de biogás, principalmente o metano, através do tratamento de esgoto sem utilizar produtos químicos. É uma câmara hermeticamente fechada onde matéria orgânica diluída em água sofre um processo de fermentação anaeróbia (sem presença de oxigênio), o que resulta na produção de um efluente líquido de grande poder fertilizador (biofertilizante) e gás metano (biogás).

A matéria orgânica contida nos dejetos é digerida por bactérias que realizam um processo de fermentação anaeróbica (ocorre na falta de oxigênio), acarretando em um gás de possível utilização para geração de energia.

Esse processo que as bactérias realizam é dividido em três fases: Hidrólise, Ácida e Metanogênica.

   Fase Hidrólise: nesta fase as bactérias liberam para o meio enzimas extracelulares com função de hidrolizar partículas, quer dizer, quebram as macromoléculas de polissacarídeos (moléculas grandes) em ácidos orgânicos (ácido butílico e láctico), alcoóis, H2 e CO2. Realizam também a fermentação de proteínas e lipídios.

Fase Ácida: as bactérias produzem ácidos transformando as moléculas de gorduras, proteínas e carboidratos em moléculas de ácidos orgânicos, etanol, hidrogênio, dióxido de carbono, amônia, dentre outras.

Fase Metanogênica: nesta última fase, as bactéria metanogênicas atuam sobre o hidrogênio e dióxido de carbono transformando-os em metano (biogás). É a fase mais demorada, pois durante as reações químicas formam-se microbolhas de metano e dióxido de carbono em torno das bactérias, isolando-as do contato com a mistura. Por causa desse isolamento, é recomendável que ocorra uma agitação na mistura do biodigetsor para desfazer as bolhas.

Principais vantagens do Biodigestor:

- Produção de energia elétrica ligada diretamente na rede;
- Utilização em geradores e aquecedores;
- Queima do biogás excedente com eliminação do mau cheiro emitido pelos dejetos;
- Reduz a emissão de poluição, pela diminuição da emissão de metano e óxido nitroso para a atmosfera, diminuindo o efeito estufa.
- Melhoria da qualidade do meio ambiente
- Utilização do composto orgânico como adubo.

Fontes: http://www.cerpch.unifei; http://www.suapesquisa; http://www.ecofocus.com.br; http://biodigestor.zzl.org.


Biodigestor é um tanque protegido do contato com o ar atmosférico, onde a matéria orgânica contida nos efluentes é metabolizada por bactérias anaeróbias (que se desenvolvem em ambiente sem oxigênio). Neste processo, os subprodutos obtidos são o gás (Biogás), uma parte sólida que decanta no fundo do tanque (Biofertilizante), e uma parte líquida que corresponde ao efluente mineralizado (tratado).

Este efluente pode ser utilizado para produção de microalgas que podem servir de insumo para piscicultura em sistemas de policultivo. Este processo de tratamento de efluentes por biodigestor e produção de subprodutos com valor agregado é um exemplo de Biossistema Integrado.

O Biofertilizante apresenta alta qualidade para uso como fertilizante agrícola, devido principalmente:
    • A diminuição no teor de carbono do material, pois a matéria orgânica ao ser digerida perde exclusivamente carbono na forma de CH4 e CO2;
    • Ao aumento no teor de nitrogênio e demais nutrientes, em conseqüência da perda do carbono;
    • A diminuição na relação C/N da matéria orgânica, o que melhora as condições do material para fins agrícola;
    • As maiores facilidades de imobilização do biofertilizante pelos microorganismos do solo, devido ao material já se encontrar em grau avançado de decomposição o que vem aumentar a eficiência do biofertilizante;
    • A solubilização parcial de alguns nutrientes.
      O Biogás é um gás inflamável produzido por microorganismos, quando matérias orgânicas são fermentadas dentro de determinados limites de temperatura, teor de umidade e acidez, em um ambiente impermeável ao ar.

      O metano, principal componente do biogás, não tem cheiro, cor ou sabor, mas os outros gases presentes conferem-lhe um ligeiro odor de alho ou de ovo podre.

      O biogás por ser extremamente inflamável, oferece condições para:
        • Uso em fogão doméstico;
        • Uso em lampião;
        • Uso como combustível para motores de combustão interna;
        • Uso em geladeiras;
        • Uso em chocadeiras;
        • Uso em secadores de grãos ou secadores diversos;
        • Uso na geração de energia elétrica;
        • Aquecimento e balanço calorífico.
          A redução das necessidades de lenha poupa as matas. A produção de biogás representa um importante meio de estímulo a agricultura, promovendo a devolução de produtos vegetais ao solo e aumentando o volume e a qualidade de adubo orgânico. Os excrementos fermentados aumentam o rendimento agrícola.

          O biogás, substituindo o gás de petróleo no meio rural, elimina também os custos do transporte de bujão de gás dos estoques do litoral ao interior.

          O uso do biogás na cozinha é higiênico, não desprende fumaça e não deixa resíduos nas panelas. O desenvolvimento de um programa de biogás também representa um recurso eficiente para tratar os excrementos e melhorar a higiene e o padrão sanitário do meio rural. O lançamento de dejetos humanos e animais num digestor de biogás soluciona os problemas de dar fins aos ovos dos esquistossomos e ancilóstomos, bem como de bactérias, bacilos desintéricos e paratíficos e de outros parasitas.

          A tecnologia de biodigestores já tem pelo menos duas décadas no Brasil. Iniciou-se com modelos provenientes da China e Índia. No entanto, o Brasil teve algumas dificuldades na sua implementação, fazendo com que esta tecnologia caísse no descrédito no meio rural.

          Nestas duas décadas houveram avanços tecnológicos significativos que possibilitaram a solução de várias dificuldades. Assim, o modelo de biodigestor adotado para o Biossistema Integrado agrega avanços, além de levar em conta a simplicidade de manejo e baixo custo de construção.

          Os objetivos dos biodigestores podem variar de localidade para localidade, podem ser empregados na obtenção de combustível de alta qualidade para as áreas rurais, sendo, ao mesmo tempo, preservado o valor do efluente como adubo; podem visar atender ao duplo objetivo de produção de energia e de tratamento de dejetos, principalmente de animais em fazendas, o que possibilita o manuseio de um material sem odores.

          O Brasil dispõem de condições climáticas favoráveis (localidade de clima tropical onde a temperatura é praticamente constante, com média acima de 20°C, os digestores dispensam sistemas adicionais para aquecimento) para explorar a imensa energia derivada dos dejetos animais e restos de cultura e liberar o gás de bujão e o combustível líquido (querosene, gasolina, óleo diesel) para o homem urbano aliviando com isso o país de uma significativa parcela de importação de derivados do petróleo.

          Ambiente Brasil

          Nenhum comentário:

          Postar um comentário

          Parceiros