Parceiro

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Uso de antibióticos em bebês com menos de seis meses de idade pode levar à obesidade



Foto de: Marcello Casal Jr./ABr

Dar antibióticos a bebês com menos de seis meses de idade pode levá-los a ser crianças gordinhas, de acordo com um estudo [Infant antibiotic exposures and early-life body mass] publicado nesta terça-feira.
bebê“Nós normalmente consideramos obesidade uma epidemia provocada por dieta pouco saudável e falta de exercício, mas cada vez mais estudos sugerem que é mais complicado do que isso”, afirmou o co-autor da pesquisa, Leonardo Trasande, da Escola de Medicina da Universidade de Nova York (NYU). Matéria da AFP, no Yahoo Notícias, com informações adicionais do EcoDebate.
“Micróbios em nossos intestinos podem ter papéis críticos em relação a como absorvemos calorias, e a exposição a antibióticos, principalmente no início da vida, pode matar as bactérias saudáveis que influenciam a forma como absorvemos nutrientes em nosso corpo, e que, caso contrário, nos deixariam magros”.
O estudo se soma a um número crescente de pesquisas que alertam para os potenciais perigos dos antibióticos, especialmente para crianças.
Estudos preliminares ligaram as mudanças nas trilhões de células microbianas em nossos corpos com a obesidade, com doença inflamatória do intestino, asma e outras doenças. No entanto, ainda não foram encontradas provas diretas de seu vínculo.
Este foi o primeiro estudo que analisa a relação entre o uso de antibióticos e a massa corporal começando na infância.
Os pesquisadores avaliaram o uso de antibióticos entre 11.532 crianças nacidas na região de Avon na Grã-Bretanha em 1991 e 1992 que participam de um estudo de longo prazo sobre saúde e desenvolvimento.
Eles descobriram que as crianças tratadas com antibióticos nos primeiros cinco meses de vida tinham um peso maior na proporção com a altura em relação às que não foram expostas.
A diferença foi pequena entre as idades de 10 a 20 meses, mas aos 38 meses de idade as crianças expostas a antibióticos tinham 22% mais chances de estar com sobrepeso.
O tempo parece fazer diferença – crianças que tomaram antibióticos de seis a 14 meses de idade não tiveram uma massa corporal significativamente maior durante a infância, informou o estudo.
E embora as crianças expostas a antibióticos de 15 a 23 meses tenham tido índices de massa corporal levemente elevados aos sete anos, não havia aumento significativo em sua probabilidade de estar acima do peso ou de ser obesas.
“Por muitos anos, fazendeiros sabiam que antibióticos são bons para produzir vacas mais pesadas para o mercado”, afirmou o co-autor Jan Bluestein, também da NYU, em um comunicado.
“Embora sejam necessários mais estudos para confirmar nossas descobertas, este estudo cuidadosamente conduzido sugere que os antibióticos influenciam o ganho de peso em humanos, especialmente em crianças”.
O estudo foi publicado no International Journal of Obesity.
Infant antibiotic exposures and early-life body mass
L Trasande, J Blustein, M Liu, E Corwin, L M Cox and M J Blaser
Int J Obes advance online publication, August 21, 2012; doi:10.1038/ijo.2012.132
Abstract
Infant antibiotic exposures and early-life body mass
L Trasande, J Blustein, M Liu, E Corwin, L M Cox and M J Blaser
Objectives:
To examine the associations of antibiotic exposures during the first 2 years of life and the development of body mass over the first 7 years of life.
Design:
Longitudinal birth cohort study.
Subjects:
A total of 11532 children born at 2500g in the Avon Longitudinal Study of Parents and Children (ALSPAC), a population-based study of children born in Avon, UK in 1991–1992.
Measurements:
Exposures to antibiotics during three different early-life time windows (
Results:
Antibiotic exposure during the earliest time window (
Conclusions:
Exposure to antibiotics during the first 6 months of life is associated with consistent increases in body mass from 10 to 38 months. Exposures later in infancy (6–14 months, 15–23 months) are not consistently associated with increased body mass. Although effects of early exposures are modest at the individual level, they could have substantial consequences for population health. Given the prevalence of antibiotic exposures in infants, and in light of the growing concerns about childhood obesity, further studies are needed to isolate effects and define life-course implications for body mass and cardiovascular risks.
EcoDebate, 21/08/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros

Parceiros