Parceiro

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Polícia considera pai suspeito por incêndio e morte de duas crianças em Xanxerê

 

Xanxerê

Em entrevista ao site Tudo Sobre Xanxerê, o delegado Luiz Carlos Dadam, explicou que esteve na tarde de segunda-feira (14) em Concórdia, para tomar o depoimento de Ledair Paula Moraes, mãe das duas crianças de cinco e nove anos, que morreram carbonizadas no dia quatro de janeiro, após a casa onde viviam em Xanxerê incendiar.

Segundo ele, Ledair e uma filha dela foram ouvidas. "A filha pouco sabe, pois não morava com a família, mas ela tinha umas informações que para nós foram importantes", declarou.

Já Ledair diz que não tem condições de afirmar ou de atribuir com provas que esse incêndio tenha sido provocado pelo companheiro. Mas, conforme ela, a estrutura da energia elétrica da residência era boa, a instalação do gás estava em boas condições e ela tinha sempre o hábito do fechamento da válvula, disse o delegado

Conforme o delegado, a mulher confirmou que estava decidida a se separar de Gilmar Moraes. Ela deixaria a casa no sábado, cinco de janeiro, mas o incêndio ocorreu na sexta (4).

A mãe das crianças também não acredita que o incêndio tenha sido causado de forma acidental por um dos filhos.

A polícia aguarda o laudo do Instituto de Criminalística de Xanxerê, vinculado ao Instituto Geral de Perícias (IGP), que fez a perícia no local. O laudo deve apontar se o incêndio foi criminoso ou acidental.

A intenção do delegado é ouvir nos próximos dias outras testemunhas do incêndio, como vizinhos.

Segundo o delegado, Gilmar já teria tentado incendiar a residência quatro meses atrás, após derramar combustível na casa.

 

T S X  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros

Parceiros