Parceiro

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Chuí: a capital brasileira dos sem religião, artigo de José Eustáquio Diniz Alves


Chuí: a capital brasileira dos sem religião

[EcoDebate] A cidade de Chuí, no Rio Grande do Sul, era famosa por estar no extremo sul do Brasil, sendo o município mais meridional do país, na fronteira com o Uruguai. Mas depois dos resultados do censo demográfico de 2010, Chuí ficou famosa por ser a única cidade brasileira com maioria absoluta de pessoas que se declararam sem religião.
Os dois últimos censos, do IBGE, mostraram que a cidade de Chuí tinha uma população de 5.167 habitantes em 2000 e 5.917 habitantes em 2010. O percentual de pessoas que se declaravam católicas, que eram maioria até os anos 1990, caiu para 42,5% em 2000 e sofreu um grande tombo para 22,4% em 2010. Mas, ao contrário de outros municípios onde a queda dos católicos foi seguida do crescimento dos evangélicos, no Chuí, o crescimento mais significativo aconteceu entre o grupo de pessoas que se declaravam sem religião, que passou de 38,5% em 2000 para 54,2% em 2010.
Outra característica especial da cidade de Chuí é que o grupo de pessoas que se declaram evangélicos – 352 indivíduos em 2000 e 443 em 2010 – perde para a soma daqueles que se declaram islâmicos (223 pessoas), espíritas (155 pessoas), testemunhas de Jeová (123 pessoas) e umbandistas (88 pessoas). Ou seja, o grupo classificado como outras religiões representava 15,8% da população de Chuí, em 2010, mais do dobro dos 7,5% de evangélicos.
Entre o grupo etário 0-14 anos, a queda do número de pessoas que se declaram católicos foi ainda maior do que na população total da cidade, passando de 40,7% em 2000 para 18% em 2010, enquanto as pessoas definidas com sem religião passou de 39,1% para 60,2% no mesmo período. Já no grupo de pessoas idosas, a presença de católicos é um pouco maior – 30,5% em 2010 – e a presença dos sem religião é um pouco menor – 45,9% em 2010.
No grupo etário de 15 a 64 anos – geralmente definido como a população em idade ativa – o percentual de indivíduos sem religião (53% em 2010) eram mais do dobro do percentual de católicos (23,1% em 2010), enquanto o percentual de indivíduos classificados em outras religiões (16,6%) era mais do dobro dos evangélicos (7,3% em 2010).
Por tudo isto, a cidade de Chuí pode ser classificada como a capital brasileira das pessoas que se declaram sem religião e é um dos municípios do país com menor percentual de católicos e evangélicos, que juntos, representavam somente 30% da população chuiense, em 2010. Chuí é, portanto, a cidade menos cristã do Brasil, este país continental, cheio de surpresas.
José Eustáquio Diniz Alves, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em demografia e professor titular do mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br
EcoDebate, 06/02/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros

Parceiros