Parceiro

domingo, 25 de agosto de 2013

Fracking, para extração do gás de xisto, é relacionado a terremotos em uma cidade Ohio, EUA

Fracking (fratura hidráulica), imagem em www.gaslandthemovie.com
Fracking (fratura hidráulica), imagem em www.gaslandthemovie.com

Desde que os registros começaram, em 1776, o povo de Youngstown, Ohio, nunca experimentou um terremoto. No entanto, a partir de janeiro de 2011, 109 tremores foram registrados e nova pesquisa [Induced seismicity associated with fluid injection into a deep well in Youngstown, Ohio], publicada na Geophysical Research-Solid Earth, revela como isso pode ser o resultado do fracking.
Em dezembro de 2010, Northstar 1, construído para bombear os resíduos líquidos produzido pelo fracking, no estado vizinho da Pensilvânia, entrou em operação. No ano que se seguiu, os sismógrafos em torno de Youngstown registraram 109 sismos, sendo que o mais forte foi um terremoto de magnitude 3,9 em 31 de dezembro de 2011.
A preocupação com a perfuração de gás natural em formações de xisto, que sustentam grande parte do Nordeste, é crescente. Para extrair o gás, uma mistura de água, areia e produtos químicos é bombeada sob alta pressão em rochas de xisto, em um processo chamado de fraturamento hidráulico, ou fracking. Uma vez que o gás tenha sido removido, as águas residuais são recicladas ou transportadas para fora do local e injetadas no subsolo. As infiltrações de água pressurizada, através de rachaduras profundas abaixo do solo, às vezes podem causar terremotos em linhas de falhas antigas.
Ohio é o ‘lar’ de 177 desses poços de descarte, incluindo o de Youngstown, que fica numa região sismicamente dormente na fronteira com o estado da Pensilvânia. Os primeiros rumores surgiram em março de 2011, vários meses após a injeção de fracking resíduos da Pensilvânia ter começado. Nove pequenos tremores se seguiram. No final de novembro, as autoridades de Ohio pediram para os cientistas monitorarem a área com instrumentos móveis, que poderiam fornecer uma localização mais precisa dos terremotos subseqüentes.
Os autores do estudo analisaram os terremotos em Youngstown, identificando que seu início, interrupção, e até mesmo quedas temporárias em atividade estavam relacionados à atividade no Northstar. O primeiro terremoto registrado na cidade ocorreu 13 dias após o início do bombeamento e os tremores cessaram logo após o Departamento de Recursos Naturais Ohio determinar que a instalação parasse a operação em dezembro de 2011.
A atividade sísmica nula foi correlacionada com feriados como o Memorial Day, o Quatro de Julho, Dia do Trabalho e Ação de Graças, bem como de outros períodos em que a injeção no poço foi temporariamente interrompida.
“Nos últimos anos, os resíduos líquidos gerados durante a produção de gás de xisto – fraturamento hidráulico, aumentaram de forma constante nos Estados Unidos. Descobrimos que os terremotos foram desencadeados pela injeção de fluido de resíduos em um poço profundo em Youngstown, Ohio, durante janeiro 2011 -. Fevereiro 2012. Descobrimos que o aparecimento de terremotos e de sua cessação foram relacionados à atividade no Northstar, uma injeção poço profundo. Os terremotos foram centrados em falhas do subsolo perto do poço de injeção. Estes choques ocorreram, provavelmente, devido ao aumento da pressão da injeção profunda de águas residuais, o que destabilizou a falha existente “, disse o Dr. Won-Young Kim. “Ao longo de 2011, os tremores de terra migraram do leste para o oeste ao longo do comprimento da falha, um indicativo de que os terremotos foram causados ‘pela expansão da frente de pressão’.”
Induced seismicity associated with fluid injection into a deep well in Youngstown, Ohio
Won-Young Kim*
Article first published online: 19 JUL 2013
DOI: 10.1002/jgrb.50247
©2013. American Geophysical Union. All Rights Reserved.
Issue
Journal of Geophysical Research: Solid Earth
Volume 118, Issue 7, pages 3506–3518, July 2013
Por Henrique Cortez, do EcoDebate, com informações de Ben Norman, do Sciencenewsroom e Kim Martineau, do Lamont-Doherty Earth Observatory

Ecodebate, 21/08/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros

Parceiros