Parceiros

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

A Maldição do Padre - Ivo Gasparin

Título: A Maldição do Padre
Autor: Ivo Gasparin
Ano: 2014
Páginas: 136
Editora: NovoCiclo
Comentário:
Este livro foi um presente especial que ganhei, neste final de ano, de um grande amigo por quem tenho um respeito muito grande por ser uma pessoa especial para todos que lhe conhecem, obrigado Jaciano Eccher por este presente, você sabe o quanto gosto de ler, por isso fico muito grato.


Resumo:
Romance com misticismo religioso

Por Larissa Verdi | 12 de Setembro de 2014.

‘A Maldição do Padre’, de Ivo Gasparin, será lançado durante a Feira do Livro de Flores da Cunha em outubro

O ano é 1969, e a localidade, Caravaieto, no distrito de Otávio Rocha. É lá que tem início o novo romance de Ivo Gasparin, professor, escritor, humorista e cantor. A Maldição do Padre, obra vencedora do concurso Memória Histórica e Cultural em 2014, será lançada em outubro durante a programação da 37ª Feira do Livro de Flores da Cunha. O projeto é coordenado pela Secretaria de Educação, Cultura e Desporto.

O romance tem como cenário a comunidade do Travessão Carvalho, conhecido como Caravaieto. A história recebe respingos de um fato carregado de misticismo religioso ao qual se deve o título e se passa entre 1969 e 1998, abordando fatos cotidianos e típicos do trabalho na agricultura com os parreirais e os afazeres domésticos.

Na época da colheita da uva, a família de Ernesto contrata dois safristas vindos de Alegrete: Ambrósio e Fernando, pai e filho. Porém, logo na chegada, a esposa de Ernesto, Marlene, se encanta pelo jeito de Fernando. A safra é colhida e os dois se envolvendo entre olhares e gestos. Ali começa uma história que não termina com o findar da colheita. No romance os costumes, o modo de falar e de viver das famílias se sobressai. “Esse é o grande objetivo do livro, documentar a linguagem que vai se perdendo a cada geração de forma a preservar nossos costumes”, conta o autor.

Além disso, o livro retrata as mudanças socioculturais e econômicas que ocorrem no período no município de Flores da Cunha. Os fatos se misturam com a trama e contam a evolução por meio da vida dos personagens. Nessa época também iniciou uma acentuada migração de pessoas de outros municípios do Estado e dos Estados próximos, como Santa Catarina e Paraná. Muitas das pessoas que aqui buscaram serviço temporário acabavam se fixando devido às oportunidades de trabalho.

Conforme Gasparin, o enredo foi tomando forma aos poucos. “Fui escrevendo sem pressa e construindo a história por meio de conversas que ia tendo com pessoas da época, e ambientando no contexto e acrescentando ao romance”, conta. Este é o segundo livro do gênero escrito por Gasparin, sendo o primeiro deles Segredo de Pedra (2008) e o que compila suas crônicas em dialeto, Ciàcole – Cento Stòrie (2013).
Gasparin é bacharel em Filosofia pela Universidade de Ijuí (Unijuí) e pós-graduado em Letras pela Universidade de Caxias do Sul (UCS). É um afeiçoado por tudo o que diz respeito à cultura italiana, em especial a regional. Sua carreira musical também foi voltada às composições em talian. São mais de 60 canções autorais já gravadas, como La Scala Rolante, O Cevete do Bepino, Se o Sinelo non Resbala, entre outras. Ivo Gasparin também é colunista dos jornais O Florense e A Vindima, onde escreve sob o pseudônimo de Tóni Sbrontolon.

Fonte: Jornal Florense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros