Parceiro

quarta-feira, 16 de março de 2016

As sandálias do pescador - Morris West

Titulo: As sandálias do pescador
Autor: Morris West
Editora: Record
Ano: 1963Paginas: 264
Resenha: "As sandálias do pescador" foi escrito no início dos anos 60, no auge da Guerra Fria entre Estados Unidos e União Soviética. Considerado "profético" por alguns, pois sua trama antecipa em cerca de 20 anos (1963) a eleição de um Papa vindo de um país comunista do leste europeu, que assume o Vaticano praticamente no mesmo ano que seu torturador chega ao poder na URSS. Entre ambos se estabelece um diálogo de grande transcendência sobre a convivência pacífica dos povos. Os perigos de um conflito atômico, o debate entre ciência e religião, amor e pecado são temas que se entrelaçam neste livro. É como se West, ao escrever "As sandálias do pescador", idealizasse uma possibilidade de paz num momento politicamente tão difícil.


Comentário de Leitor. Walkiria21/11/2012

Kiril Lakota - o Cristo.
Gostei muito desse livro, por ser o primeiro livro do Morris West que li, fiquei impressionada com os detalhes, a riqueza do conhecimento do autor a cerca dos ritos do catolicismo.

Não sou católica, então tudo o que foi narrado era novo e muito interessante para mim. O começo da leitura é maçante, mas necessário para se entender o que está ocorrendo e como a história se desenrola.

Os personagens, cardeais Leone e Rinaldi têm bastante influência no Vaticano, o que faz com que consigam eleger o cardeal que "escolheram" para ser o próximo papa.

O papa escolhido, o personagem Kiril Lakota é muito cativante, por muitas vezes enquanto lia, desejei conhecê-lo pessoalmente, rs rs rs.

Apesar de o personagem ser colocado como um Cristo no livro, adorei a forma sutil como o autor fez isso, sem tornar melosas as atitudes de Kiril enquanto papa. Também imaginei como ele seria, ucraniano, com cicatrizes, sem dúvidas um papa diferente.

Como não conheço o mínimo das bases católicas/bíblicas fiquei meio perdida quanto ao título do livro, felizmente descobri quem era o pescador e a relação de um papa com a Igreja.

Adorei a sinceridade do autor e as críticas bem pontuadas de um personagem que calça as sandálias, é investido pelo poder divino, mas não pode mudar, da forma como entende correta, os padrões da Igreja.

A personagem Ruth também é muito interessante, pois seus conflitos são atemporais, quantas pessoas se tornam alienadas à religião e optam por não acreditar mais na fé? A busca espiritual da personagem é bastante árdua.

Quanto ao George Fasber e a sua luta para anular o casamento de Chiara, a narrativa mostra como um homem tão maduro e inteligente pode se envolver em uma trama vergonhosa para ter um papel que declare que Chiara, a mulher amada lhe pertence de direito.

O personagem Jean Télemond deixa marcas profundas quanto a sua submissão e dedicação à Igreja.

Com certeza vale a pena ler esse livro, principalmente se você deseja fazer uma reflexão sobre a vida.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros

Parceiros