RÁDIO COMUNITÁRIA LIBERDADE FM AO VIVO

Clique nas imagens para ver as últimas postagens do blog

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

2ª Feira do Livro Sesc de Blumenau ocorre de 27 de setembro a 1º de outubro, no Teatro Carlos Gomes

“Imagens Literárias” é o tema da 2ª Feira do Livro de Blumenau, realizada pelo Sesc, de 27 de setembro a 1º de outubro, no Teatro Carlos Gomes. O evento contará com oficinas, apresentações artísticas, encontros com autores e ilustradores, palestras, comércio de livros e Chás Literários. Um grande encontro para discussão e fruição, que reunirá escritores, pesquisadores, artistas, comunicadores e a comunidade.

O objetivo é promover diálogos onde a imagem ultrapassa as paredes da representação gráfica, estabelecendo relações com o imaginário humano das mais diversas formas. “Pensando que a cultura é que dá sentido e corpo à imagem, este encontro propõe uma programação unificada de fomento e troca de saberes nas mais diversas vertentes no estudo da imagem na literatura através de uma programação diversificada e integrada proporcionando reflexão, fruição e entretenimento com a participação de artistas e autores”, declara a técnica de Cultura do Sesc em Blumenau, Desiree Leslie Silveira.

Os Chás Literários, que também aconteceram na primeira edição da Feira do Livro, no ano anterior, e promoveram momentos de diálogo e reflexão, são abertos à comunidade. Neste ano, serão abordados temas como: “Contos orais na contemporaneidade”, a “Interação da música e da literatura”, “Reflexões sobre qualidade literária para a infância”, além de uma importante discussão sobre a comunicação para o produto literário.

Um diferencial desta edição do evento é o espaço “Palco Aberto”, no sábado dia 1º de outubro. Na ocasião, o evento abre sua programação para autores, blogueiros e pessoas envolvidas com a literatura para que possam divulgar seus trabalhos e /ou suas pesquisas; e também a presença da Feira Setorial de Literatura, com envolvimento de autores da região. Esta participação é possível através de agendamento pelo e-mail desiree.6941@sesc-sc.com.br

Acompanhe as notícias e as novidades pelo evento: www.facebook.com/events/813751958765179

SERVIÇO:
2ª Feira do Livro Sesc de Blumenau
De 27 de setembro a 1º de outubro
Teatro Carlos Gomes (Rua XV de Novembro, 1181 - Centro – Blumenau)
Entrada gratuita e aberta a toda a comunidade

AGENDAMENTOS: Grupos escolares e outros agendamentos pelo e-mail desiree.6941@sesc-sc.com.br
Mais informações: Sesc em Blumenau: (47) 3322-5261
Fonte: Assessoria de Imprensa Sesc/SC: Sarah Goulart | Alessandra Carvalho
Divulgação local: Nane Pereira Comunicação e Arte: 47 9922-9171

PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

27 de setembro (terça-feira)
9h: Abertura
9h15: Baú de Histórias – “Foi coisa de Saci”, Cia Contacausos (Chapecó/SC) – Sala Verde
10h15: Hora do Conto – “Memórias de uma menina”, Gilmara Goulart (Timbó/SC) – Palco Central
12h: Intervenção artística – Um-banda Luís Guilherme Holl (Blumenau/SC) – Praça Teatro
13h30: Baú de Histórias – “Foi coisa de Saci”, Cia Contacausos (Chapecó/SC) – Sala Verde
15h: Hora do Conto – “Aqui Acolá Histórias orientais para te contar”, com Gilmara Goulart (Timbó/SC) – Palco Central
18h30: Intervenção Clown – “Terapia Literária com Dra. Sofia”, com Paula Sofia (Blumenau/SC) – Salão Centenário
19h30: Chá Literário – “Contos orais da contemporaneidade”, com mediação de Josiane Geroldi
20h15: Palestra com Sueli Cagneti – “Imagens: das antigas ilustrações aos sofisticados projetos editoriais contemporâneos” – Palco Central

Dia 28 de setembro (quarta-feira)
9h30: Hora do Conto – “Tem coroa, mas não é rei”, Cia Contacausos (Chapecó/SC) – Palco Central.
10h: Sementes da paz Poesia com crianças – Mediação da escritora Terezinha Manczak (Blumenau/SC) – Sala Verde
13h30: Hora do Conto – “Tem coroa, mas não é rei”, Cia Contacausos (Chapecó/SC) – Palco Central
14h30: Sementes da paz- Poesia com crianças-Mediação escritora Terezinha Manczak (Blumenau/SC) – Sala Verde
15h30: Palestra – “Panorama das HQ’s no Brasil”, com Paulo Cecconi (Blumenau/SC) – Sala Verde
18h: Curta a praça – Exibição de audiovisual na praça
19h: Mesa redonda sobre relançamento da RDC (Revista de Divulgação Cultural) com José Endoença Martins e Maria José Ribeiro. Mediação de Maicon Tenfen – Sala Verde
20h: Chá literário – “Divulgação do Produto Literário” (com participação de escritores, jornalistas e produtores culturais) – Sala Verde
21h: Encontro com Escritor – Maicon Tenfen – Palco Principal

29 de setembro (quinta-feira)
9h: Sarau Literário Idiomas Sesc – Sala Verde
09h30: Encontro com escritor – Marcelo Labes – Palco Principal
14h: Sarau Literário Idiomas Sesc – Sala Verde
14h30 Hora do Conto – “Contos da Ilha da magia”, Cia Sandra Baron – Praça do Teatro
15h30 Palco Giratório- A casatória c’a difunta – Cia Pão Doce- RN - Pequeno auditório
19h: Encontro com escritor – Marcelo Labes
19h: Sarau Literário Idiomas Sesc
19h30: Lançamento Livro “Evaristo, a Cutia” e conversa com autores Pochyua Andrade e Nestor Júnior.
20h15: Chá literário e musical: Interações Música e Literatura, com Gregory Haertel e Mareike Valentin

30 de setembro (sexta-feira)
9h30: Hora do Conto – Espaço Biblioteca Sesc
10h: Espetáculo teatral – “Meu pai é um homem pássaro”, Cia Experimentus (Itajaí/SC)
14h: Espetáculo teatral – “Meu pai é um homem pássaro”, Cia Experimentus (Itajaí/SC)
15h: Baú de histórias – “Evaristo, a Cutia”, Camba Produções (Blumenau/SC) – Palco Principal
16h: Histórias em Par- Sinos Cia de Teatro (Blumenau/SC)- Praça do Teatro
18h:30 Chá literário – Roda de Leitura com Nana Toledo e Pablo Lugones da Editora Gato Leitor.
19h30 Palestra com Anelise Zimmermann: "Criação de imagens na literatura para a infância e suas leituras"
21h: Show Orquestra Blumenauense de Viola Caipira com participação do Grupo de Cantoria do Sesc

1 de outubro (sábado)
9h: Oficina "Processo de criação de ilustrações para literatura”, com Anelise Zimmermann (Florianópolis) –Sala Nobre
10h30: “Ao pé do Ouvido - Sussurrando Poemas”, com Nana Toledo e Grupo Boca do Vento- Sala Verde
11h30: Lançamento do livro “Moustache”, da Editora Gato Leitor, de Gracia Iglesias e Guridi, da Espanha, com Tradução de Nana Toledo- Palco Principal
12h30: Intervenção artística “Um-banda Luís Guilherme Holl” – Praça teatro
13h30: Oficina "Introdução ao livro-imagem", com Renato Moriconi (SP) –Sala Nobre
15h: Histórias Bilíngues- GESCHICHTEN AUS DER HÖHLE/HISTÓRIAS DA TOCA, com Shirlei Dickmann e Rosimeli Zech – Sala Verde
16h: “Histórias Fora da Caixa”, com Natalia Curioletti – Sala Verde
17h30: Leia Mulheres, Com escritora e artista Cláudia Iara Vetter – Sala Verde
19h30: Palestra "O livro e a imagem: diálogos entre artes plásticas e literatura", com Ricardo Moriconi (SP) – Palco Principal
21h30: Encerramento e Show Pochyua Andrade – Palco Principal

SOBRE OFICINAS:
Oficina 1 "Processo de criação de ilustrações para literatura” com Anelise Zimmermann- Florianópolis/SC.
Data: 1° de outubro-Sábado/ Local: Sala Verde-Teatro Carlos Gomes/ Horário: 9h
Oficina 2: "Introdução ao livro-imagem" com Renato Moriconi-SP
Data: 1° de outubro/ Local: Sala Verde-Teatro Carlos Gomes/Horário: 13h30.

Inscrições para as oficinas devem ser feitas na central Relacionamento com Clientes do Sesc em Blumenau, na Rua Amadeu da Luz.
Ambas tem o valor de R$ 50,00 usuários e R$ 25,00 comerciários e vagas LIMITADAS.
Mais informações no e-mail desiree.6941@sesc-sc.com.br

SINOPSES:
Espetáculo “Foi coisa de Saci”, Cia Contacausos (Chapecó/SC)
Sinopse: SACI é coisa que gente da cidade nega, diz que não tem, mas tem! “Acontece que ele é filho do mistério, filho do vento gira e assobia, filho das sombras que formam figuras lá no fundo da floresta, filho do medo e da assombração”. Numa casa de caboclo, quando alguma coisa estranha acontece, as pessoas dizem que FOI COISA DE SACI! O espetáculo faz um passeio pelos causos da nossa gente brasileira que jura que viu, ouviu e até já prendeu o danadinho na garrafa. Duração: 40 min. / Classificação: a partir de 7 anos.

Espetáculo “Tem coroa mas não é rei”, Cia Contacausos (Chapecó/SC)
“Toda adivinha é uma metáfora da vida, é o início da poesia, nossa primeira brincadeira com as palavras…” O espetáculo é um passeio pelos contos populares de adivinhação e pela cultura do nosso povo, sua rica sabedoria, seus modos de dizer e viver a vida. Duração: 30 min. / Classificação: 6 anos.

Espetáculo “Aqui acolá - Histórias orientais para te contar”, com Gilmara Goulart (Timbó/SC)
É um Espetáculo de Contação de Histórias nascidas no Japão, China, Coreia, Índia e Tibet; que ganham roupagem nova e são contadas por Gilmara Goulart, a partir de elementos que saem de uma maleta e de bolsos de uma saia. O Espetáculo conta também com músicas orientais e permite possíveis participações do público. Duração: 30 min. / Classificação: a partir de 5 anos.

Espetáculo “Memórias de uma menina”, com Gilmara Goulart (Timbó/SC)
O espetáculo narra a história de uma menina serelepe que passava seus dias de férias espiando o que tem nos bolsos da saia de sua mãe. Esses bolsos, mágicos e encantadores permitem a menina junto da mãe constituir suas mais lindas heranças familiares. Duração: 35 min. / Classificação: Livre.

Espetáculo “Um- banda”, com Luís Guilherme Holl
O Um-Banda é um homem-banda. Utilizando da energia do clown, apresenta musicas universais presentes no (in)consciente coletivo e composições próprias. Esse personagem é a busca da incorporação do arquétipo do louco do tarot, misturado com o arquétipo do músico mambembe, do menestrel, do bobo e do trickster. Deboches e sátiras criticas também fazem parte do repertório desse louco. É o portador do gorro mágico (ohhh), esse gorro, além de ser o chapéu do músico de rua, tem o poder de realizar desejos. No repertório estão inclusas danças húngaras de Brahms, Gypsy jazz de Django Reinhardt, temas de desenhos animados como Tom & Jerry e Looney tunes, músicas tradicionais russas, judias e ciganas, além de composições próprias apresentadas pela cândida atmosfera de um palhaço. Duração: 40 min. / Classificação: Livre.

“Contos da Ilha da Magia”- Cia Sandra Baron- Jaraguá do Sul-SC
Contos da Ilha da Magia é uma coletânea de contos da tradição oral do litoral de Santa Catarina de origem açoriana. A cultura e o folclore do litoral catarinense contados através do embate fantástico entre bruxas e benzedeiras de forma teatral e interativa. O universo bruxólico catarinense e a importância das benzedeiras bastante presentes na região de Florianópolis e nas demais cidades litorâneas catarinenses, ganham vida neste espetáculo. Duração: 40 min. / Classificação: 10 anos.

“Histórias em par”, Sinos Cia de Teatro (Blumenau/SC)
Francisca Ceroulas e Eunice Laquê são duas senhoras de idade, contadoras de história, antigas amigas e rivais. As duas são convidadas para contar a mesma história, no mesmo local e horário, por algum erro da produção do evento, que deveria ter chamado apenas uma delas. Uma não contava com a presença da outra e apesar da amizade, as duas são concorrentes e estavam preparadas para contar a história individualmente. Dentro dessa grande confusão, as duas parecem não ter outra escolha a não ser dividir a atenção das crianças por um bem maior. Assim, essas velhinhas divertidas e engraçadas precisarão compreender suas diferenças, e contar juntas: A história do Sol e da chuva. Juntando elementos poéticos e musicais, as duas amigas aos poucos começam a resgatar os valores de uma verdadeira amizade e a importância do perdão. Duração: 35 min. / Classificação: Livre.

“Meu pai é um homem pássaro” - Cia Experimentus-Itajaí/SC

Jack é um homem que, após a perda de sua esposa, vive sob os atenciosos cuidados de sua filha Lizzie. Apaixonado pelos pássaros e tomado pelo desejo de voar, Jack se vê diante da chance de lançar-se no ar quando é anunciado que a cidade receberá ‘A Grande Competição do Pássaro Humano’. O sonho do “avoado” pai passa a ser também um desejo de sua filha e, assim, novos laços começam a ser estabelecidos entre os dois, um homem pássaro e uma menina pássaro. Duração: 60 min. / Classificação: a partir de 7 anos.

"Histórias Bilíngues: GESCHICHTEN AUS DER HÖHLE / HISTÓRIAS DA TOCA", com Shirlei Dickmann e Rosimeli Zech
Em histórias que iniciam com "Es war einmal..." ou "Era uma vez..." muitos personagens se fazem presentes. No espetáculo "HISTÓRIAS DA TOCA", uma toupeira vive aventuras que nos levam a reflexão sobre momentos que vivemos no nosso cotidiano, fora do mundo do faz de conta. Você viverá a experiência de ouvir a mesma história contada em duas línguas. Venha conhecer esta TOCA com muitas histórias! Duração: 45 min. / Classificação: Livre.

“Ao pé do Ouvido - Sussurrando Poemas”, com Nana Toledo e Grupo Boca do Vento.
Cantorias para chamar os poemas soprados pelo vento. Prestigie e receba um poema ao pé do ouvido. Duração: 40 min. / Classificação: Livre.

“Histórias Fora da Caixa”, com Natalia Curioletti – Sala Verde- Ação Gato leitor
Sinopse: Margarida adora ler e contar histórias. Ela vai a lugares com crianças que tem o poder da imaginação para abrir as “Caixas Mágicas”. Das caixas saem livros, sempre diferentes, para serem compartilhados com quem quiser ouvir. Duração: 35 min. / Classificação: Livre.

Palco Giratório- A casatória c’a difunta –Cia Pão Doce-RN
A casatória c'a defunta conta de modo lúdico e divertido as peripécias de quem já partiu desta vida para uma melhor e dos que ainda respiram por esses ares. Cinco atores em “pés-de-banco” levam a magia para as ruas a partir da história do medroso Afrânio, que está prestes a casar-se com a romântica Maria Flor, mas acidentalmente casa-se com a fantasmagórica Moça de Branco, que o conduz para o submundo. Lá, o jovem fará valorosos amigos e aprenderá uma grande lição. Mesmo assim, Afrânio está disposto a não desistir do seu amor verdadeiro, ainda que isso lhe custe a própria vida. Duração: 50min. / Classificação: Livre.

1ª Feira do Livro do Sesc 
Sesc/Divulgação
Dia 1 de outubro tem programação paralela das 9h às 18h na Praça do Teatro Carlos Gomes
- Feira Setorial de Literatura. Sob coordenação de Terezinha Manczak, a feira tem por objetivo divulgar obras de autores da região e as inscrições e informações são obtidas pelo e-mail: terezinhamanczak@gmail.com- Recreação do Sesc- Jogos de todo o mundo.
- Blitz da saúde Sesc- Aferição de pressão, testes de glicemia, orientação nutricional.
- Feira de variedades-artesanato, arte e brechó.
- Palco Aberto- Autores e pesquisadores poderão divulgar seus trabalhos e/ou pesquisas na área da literatura. (Inscrições pelo e-mail desiree.6941@sesc-sc.com.br).


terça-feira, 13 de setembro de 2016

"Concurso Liberdade de Conhecer"

A Rádio Comunitária Liberdade de Três Palmeiras estará promovendo o "Concurso Liberdade de Conhecer", os Lugares mais Lindos de Três Palmeiras.
Você que conhece  algum lugar que vale a pena outras pessoas conhecerem, fique ligado na Rádio Comunitária Liberdade e aqui no Blog.
Participe e ganhe prêmios pela sua contribuição.
Aguarde o Regulamento estará aqui no blog nos próximos dias.
Você poderá participar com fotos e Videos, que devem ser enviados para: E-mail: accltp@hotmail.com ou no Watsapp da Rádio 54 9955 2725.
Qual será o local mais bonito???????????????????????????

Visite o Blog da Rádio Comunitária Liberdade clicando sobre esta frase.

As 15 melhores cidades para se viver no Rio Grande do Sul

As melhores cidades para se viver no Rio Grande do Sul. Para se chegar a esse resultado, foi levado em conta apenas o Índice de Desenvolvimento Municipal (IDHM).

O IDH é medido em todo o mundo pela ONU com base em indicadores de educação, renda e expectativa de vida. No Brasil, o levantamento ocorre a cada dez anos e é feito em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Os dados mais recentes, empregados para a elaboração deste ranking, são de 2010. Já a taxa populacional é fruto de estimativas atualizadas do IBGE com base no censo de 2010.

O que chama a atenção no Rio Grande do Sul é que grande parte das cidades que aparecem na lista não possuem nem mesmo 10 mil habitantes e a maioria delas apresenta sites com muitas informações sobre elas. Talvez isso seja uma prova de que a vida no campo, em municípios menores, seja menos estressante do que em grandes centros urbanos. Confira:

1.º Porto Alegre
Crédito: Wikimedia Commons.
A capital mais meridional do Brasil é sede da maior concentração urbana da Região Sul e a quinta mais populosa do Brasil. Hoje ela abriga mais de 1,4 milhão de habitantes dentro dos limites municipais. Porto Alegre ostenta, ainda, mais de 80 prêmios e títulos que a distinguem como uma das melhores capitais brasileiras para morar, trabalhar, fazer negócios, estudar e se divertir. Foi destacada em anos recentes também pela ONU como a metrópole número 1 em qualidade de vida do Brasil por três vezes. Porto Alegre tem um IDHM de 0,805, o que lhe confere o primeiro lugar entre as cidades do estado.

2.º Carlos Barbosa
Crédito: Prefeitura de Carlos Barbosa.
Casa da Associação Carlos Barbosa de Futsal, um dos principais times de futsal do país, o município da Serra Gaúcha está localizado a cerca de 100 quilômetros de Porto Alegre, tem um relevo típico de altos montes, chegando a 750 metros de altitude e vales profundos, descendo a menos de 130 metros. Essas diferenças produzem cenários exuberantes que encantam os visitantes e os mais de 26 mil habitantes de Carlos Barbosa. A cidade possui belos lugares para a prática de esportes, com muito verde e ar puro. No interior está situada uma das melhores rampas do estado para a prática de voo livre de paraglider, o chamado Morro do Diabo. O lugar é palco para competições regionais e estaduais da modalidade. O IDHM é de 0,796. Fonte: Prefeitura Municipal de Carlos Barbosa.

3.º Três Arroios (RS) 
Igreja Matriz de Três Arroios. Crédito: Wikimedia Commons.
O município tem este nome por estar localizado em um vale que é atravessado por três riachos. Em fins de 1915, já divididas todas as terras, com água abundante, temperatura e relevo que lembravam a Europa e com solo fértil onde era possível a cultura de todos os ramos agrícolas se inicia a colonização de Três Arroios. De acordo com o último Censo do IBGE, a cidade tem 2.855 habitantes. Fonte: Prefeitura Municipal de Três Arroios. O IDHM da cidade é de 0,791.

4.º Ipiranga do Sul (RS)
Crédito: Prefeitura Municipal de Ipiranga do Sul.
No ano de 1938 chegaram várias famílias, atraídas pelas matas nativas com abundância de pinheiros, próprias à extração vegetal, e pelo clima e relevo, propensos à criação de gado. Essas famílias introduziram a primeira serraria em Ipiranga. A partir de desbravamento da mata, foram surgindo colonos que diversificaram as atividades econômicas a vinicultura, a suinocultura, a bovinocultura, o plantio de trigo, do milho e do feijão preto. De acordo com o último senso realizado pelo IBGE em 2010, Ipiranga do Sul possui uma população de 1.944 habitantes. O IDHM é de 0,791. Fonte: Prefeitura do Ipiranga do Sul.

5.º Lagoa dos Três Cantos (RS)
Lagoa FEST. O evento, acontece, anualmente, em março. Crédito: Prefeitura Municipal.
Lagoa dos Três Cantos é um aconchegante município localizado na Zona Central do Rio Grande do Sul. É tipicamente rural, onde predomina o cultivo da soja, milho, trigo e cevada, além da produção de suínos, gado leiteiro e aves. Também se destaca no comércio de sementes forrageiras. Grande parte dos seus habitantes é de origem germânica e procura valorizar a dança, o folclore, o canto e a música, hábitos herdados dos antepassados. O dialeto alemão ainda é falado por parte dos seus moradores, que são originários da região da Westfália e Hunsrick, na Alemanha. Sua população é de 1.598 habitantes (Censo de 2010). Considerado um dos lugares mais seguros da região, oferece parcerias e incentivos para empresas que desejam investir no município. O IDHM é de 0,789. Fonte: Prefeitura Municipal de Lagoa dos 3 Cantos.

6.º Garibaldi (RS)
Museu Histórico de Garibaldi. Crédito: Prefeitura Municipal de Garibaldi.
Garibaldi (cidade localizada a 105 quilômetros de Porto Alegre a 640 metros de altitude) é um município com características peculiares. Colonizado por imigrantes italianos, teve forte influência da cultura francesa, transmitida pelas congregações religiosas, responsáveis pela educação dos habitantes, durante décadas. Além disso, veio a receber o aporte dos sírio-libaneses no que diz respeito ao comércio. Esses são alguns dos fatores que contribuíram para a Garibaldi de hoje. Um município com diversidade econômica e cultural, rico de história e memória. O IDHM é de 0,786. Fonte: Prefeitura Municipal de Garibaldi.

7.º Nova Araçá (RS)

Crédito: Prefeitura Municipal de Nova Araçá.
A cultura gaúcha se destaca na cidade pelo Rodeio Artístico que ocorre no Parque de Rodeios Municipal. É a maior festa campeira da cidade. A religiosidade marca outro importante aspecto no município. A Igreja Matriz, construída em 1940, reúne fiéis durante todo o ano, tendo seu ápice no dia 13 de outubro, quando ocorre a Festa de Nossa Senhora de Fátima, padroeira da cidade. Junto ao Arroio Araçá, encontra-se a Gruta Nossa Senhora de Lourdes, esculpida na própria pedra em 1935. O município possui ainda atrativos naturais, como o Parque Clube Passo Velho do Afonso, balneário e ponto turístico para descanso e camping; e o Viveiro Municipal, no Parque Ecológico de Nova Araçá, onde é possível apreciar a flora e fauna nativas. O IDHM é de 0.785. Fonte: Prefeitura Municipal de Nova Araçá.
 
8.º Casca (RS) 
De acordo com o site da prefeitura da cidade, quanto à origem do nome “Casca”, há duas hipóteses: a primeira seria advindo da extração de cascas de árvores com objetivos comerciais; e a segunda seria pelo fato de o local ser de passagem dos cavaleiros e carroceiros no riacho próximo à cidade, bastante liso e escorregadio, fácil de cair, que no dialeto italiano cair se traduz por “cascar”. O município possui hoje 8.651 habitantes e possui um IDHM de 0,785.

9.º Ivoti (RS)
Crédito: Prefeitura Municipal de Ivoti.
 Entregue em 2008, o pórtico é o cartão de visitas número um do município, pois está localizado no principal acesso, próximo à BR-116. A obra ilustra o aspecto da cultura alemã que prevalece em muitos prédios e moradias da cidade. Inserida dentro do processo de colonização do país, Ivoti recebeu em torno de 1.826 diversas famílias de origem germânica, vindas em maioria da região do Hunsrück. Hoje, Ivoti possui em torno de 20 mil habitantes. Na cidade, os festejos são sempre regados com muito chope, as doceiras ainda preparam cucas e roscas, servidas com linguiça cozida, tudo com gostinho de colônia. O IDHM é de 0,784. Fonte: Prefeitura Municipal de Ivoti.

10.º Santa Maria (RS) 
Planetário da Universidade Federal de Santa Maria. Crédito: Wikimedia Commons.
Com seus 261.031 habitantes, Santa Maria é conhecida como o município “Coração do Rio Grande” devido à sua posição geográfica bem no meio do estado. Além disso, a cidade é famosa por possuir uma das maiores universidades federais do país, a Universidade Federal de Santa Maria, que é responsável por dar um ar mais jovial à localidade, que possui um IDHM de 0,784.

11.º Horizontina (RS) 
Em 1943, pelo fato de a capital de Minas Gerais ser chamada de Belo Horizonte e já existir uma vila com o nome Horizonte, a população manifestou o desejo de alterar o nome do Distrito, sendo que pela carta geográfica do Rio Grande do Sul, a Vila Horizonte passou a ser chamada de Horizontina. O IDHM é de 0,783. Fonte: Prefeitura Municipal de Horizontina.

12.º Caxias do Sul (RS)
Festa da Uva. Fonte: Prefeitura Municipal de Caxias do Sul
A história de Caxias do Sul começa quando a região era percorrida por tropeiros, ocupada por índios e chamada Campo dos Bugres. Em 1875, chegaram os primeiros imigrantes italianos em busca de um lugar melhor para viver. Vários ciclos econômicos marcaram a evolução de Caxias do Sul ao longo desses séculos: do cultivo da uva e do vinho ao segundo polo metalmecânico do Brasil. Junto com os imigrantes, outras etnias partilharam desse caminho. O IDHM é de 0,782. Fonte: Prefeitura Municipal de Caxias do Sul.

13.º Ijuí (RS)
O monumento “O Pioneiro” foi criado para marcar os 100 anos de fundação de Ijuí e virou a marca do município.Crédito: Prefeitura Municipal de Ijuí.
Ijuhy significa na língua guarany “Rio das Águas Divinas”. Recebeu imigrantes de várias nacionalidades. Todas as suas potencialidades são expressas através de um economia baseada no seu forte setor agropecuário, em seu comércio, indústrias e serviços; de seu ensino qualificado, conferido por escolas da cidade e pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ) e de sua saúde, amparada por hospitais muito bem equipados, que dispensam auxílio integral a toda região. Ijuí é conhecido por reunir variados grupos étnicos, sendo daí conhecido como “Terra das Culturas Diversificadas”. Pode-se citar os seguintes: afro-brasileiros, índios, portugueses, franceses, italianos, alemães, poloneses, austríacos, letos, holandeses, suecos, espanhóis, japoneses, russos, árabes, libaneses, lituanos, ucranianos dentre outros. O IDHM é de 0,781. Fonte: Prefeitura Municipal de Ijuí.

14.º Vista Alegre do Prata

Crédito: Prefeitura Municipal de Vista Alegre do Prata.
De colonização predominantemente italiana e polonesa, Vista Alegre do Prata hoje tem apenas 1.569 habitantes de acordo com o Censo de 2010, o que lhe confere um ar de cidade aconchegante. Fonte: Prefeitura Municipal de Vista Alegre do Prata.

15.º Nova Petrópolis.

Crédito: Prefeitura Municipal de Nova Petrópolis.
 Na década de 70 com o resgate das origens históricas do município, houve um grande incremento na vida cultural, especialmente no folclore. O movimento turístico intensificou-se gradativamente assumindo o aspecto de turismo cultural. Expandiram-se com isso as malharias, o artesanato, os hotéis, os restaurantes e os cafés coloniais. Hoje o município se encontra em posição invejável, tanto no plano sociocultural como no econômico. A população do município em 2010 era estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 19.058 habitantes. O IDHM é de 0,780 Fonte: Prefeitura Municipal de Nova Petrópolis.

Fonte: Sempre Família

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

14 lugares mais lindos do Rio Grande do Sul

1. O Butiá.

Antiga fazenda na beira do rio Guaíba, O Butiá deu uma guinada hipster depois de sediar o MECA Festival de 2016. Nos demais finais de semana, é um restaurante de comidas orgânicas onde acontecem eventos culturais. Depois de almoçar dá para assistir a shows, fazer trilhas ou somente “lagartear” – palavra gaúcha que significa ficar deitado ao sol feito um lagarto – num cenário bonito. Butiá é uma frutinha típica do Sul que se usa para fazer cachaça.
Fica no Parque Estadual de Itapuã, em Viamão, a apenas 57 km do Centro de Porto Alegre. Este é o site do lugar.

2. Parque da Guarita de Torres.

Em Torres, praia bem próxima à divisa com Santa Catarina, a água do mar é bem mais azul e cristalina do que nas demais praias do Estado. Se for para visitar um único ponto turístico de Torres, que seja o Parque da Guarita, com suas formações rochosas e areia limpinha. Confira mais informações no site da prefeitura de Torres.

3. Vale dos Vinhedos.

O passeio consiste em visitar as várias vinícolas e seus respectivos restaurantes, em meio à paisagem verde e suave, que realmente lembra as colinas da Itália. No caminho, você encontrará diversos rodízios de massas e produtores de queijos, conservas e geleias. O que levar: um casaquinho e bastante fome. O que não levar: sua dieta. Informe-se sobre os passeios aqui.

4. Vinícola Casa Valduga.

O rodízio de massas do restaurante Maria Valduga, na própria vinícola, serve pratos que são requintados sem perder o sabor caseiro. Tem até várias opções sem carne, como massa ao pesto, com tomate fresco e azeitonas, quatro queijos e outras delícias. Depois, quem quiser pode passar na loja de vinhos para degustar e levar algumas garrafas para casa. Não vai sair barato, mas é uma pausa bem gostosa no passeio pelo Vale dos Vinhedos. Este é o site da vinícola. Este é o site da vinícola.

5. Cidade de Antônio Prado.

Você vai se sentir tão dentro da colônia italiana que vai começar a falar com sotaque de novela. A 185 quilômetros de Porto Alegre, esse cantinho da serra gaúcha tem casinhas tombadas, artesanato, natureza e claramente não poderia faltar a culinária. Saiba mais sobre Antônio Prado aqui!

6. Cânion do Itaimbezinho.

Um abismo verde em meio ao nevoeiro, localizado no Parque dos Aparados da Serra de Cambará do Sul, a 200 km de Porto Alegre. Aqui tem mais informações, e neste post do blog Viaje na Viagem você encontra mais algumas dicas sobre quais pontos vale visitar.

7. Pedra do Segredo.

A Pedra é famosa por ter a forma de duas cabeças de gorila e é uma ótima localidade para trilhas, que incluem escalar o morro – perfeito para ver o pôr do sol, mas lindo também de dia – e explorar as três cavernas que ficam na sua encosta: a Caverna da Escuridão, o Salão das Estalactites e Percival Antunes (esse é o nome do seu descobridor). A Pedra do Segredo fica no município de Caçapava do Sul, a 259 km Porto Alegre. Saiba mais aqui.

8. Minas do Camaquã.

Além de você poder visitar as minas abandonadas, vale conhecer a Lagoa Azul: por causa do PH da água, nela não há bactérias e por isso reflete perfeitamente a cor do céu. Minas do Camaquã também fica perto de Caçapava do Sul, portanto também é um ótimo lugar para trilhas e caminhadas.

9. Piratini.

Piratini foi a capital da República Rio-Grandense durante a Revolução Farroupilha e pano de fundo da novela “A Casa das Sete Mulheres”. Embora derrotada, a Revolução não deixa de ser celebrada, especialmente em Piratini. As maiores atrações são seus 23 prédios históricos tombados e o city tour temático, no qual atores com roupas de época encenam acontecimentos da Guerra dos Farrapos. Neste site você encontra várias informações para que quer visitar a cidade.

10. São Miguel das Missões.

As ruínas de Sâo Miguel são as mais preservadas das colônias jesuítas dos Sete Povos das Missões. Toda noite tem um show de luzes que conta a história da missão e além disso há o Museu das Missões para visitar. Neste post do blog Férias Brasil tem mais informações.

11. Estação Ecológica do Taim.

Na região de Rio Grande se encontra este oásis ecológico onde são preservadas 230 espécies de aves – o Taim é o berçário delas – além de capivaras, jacarés e graxains, espécie de cachorros-do-mato típicos da região. A Estação Ecológica não tem site, mas você pode ver mais informações no da prefeitura de Rio Grande.

12. Molhes da Barra de Rio Grande.

No porto de Rio Grande, no Sul do Estado do Rio Grande do Sul, há um carrinho que atravessa os braços de rocha próximos ao cais, que entram oceano adentro. Ele anda sobre trilhos, puxado por uma vela movida pelos fortes ventos da praia e vai até o final da ponta de pedras dos Molhes, um bom lugar para pescar. Saiba mais aqui.

13. Pelotas.

Para todos os gaúchos Pelotas é sinônimo de doces, principalmente aqueles de origem portuguesa, com bastante ovo e nenhuma economia no açúcar. Não é a à toa que a cidade hospeda a Fenadoce, a maior feira de doces do Brasil. Além disso, é possível visitar as charqueadas, fazendas de produção de charque que fizeram a riqueza da idade no século 19. Saiba mais aqui.

14. São Lourenço do Sul.

Pertinho de Pelotas está São Lourenço, a Pérola da Lagoa dos Patos, uma das atrações da chamada Costa Doce. Nas suas praias calminhas dá para praticar esportes aquáticos e fazer passeios de escuna. Outra atração é o Caminho Pomerano, uma rota para conhecer a colônia dos imigrantes vindos da Pomerânia (uma região hoje extinta que ficava entre a Polônia e a Alemanha): tem visitas a casas coloniais e degustação de iguarias típicas. Você pode se informar aqui.

Fonte: buzzfeed.com

domingo, 11 de setembro de 2016

Os 10 lugares mais lindos do Brasil

Que tal na sua proxima viagem conhecer um desteslugares...........................

Canindé do São Francisco

 
Cânion Xingó (Foto: César de Oliveira Pereira / Vena Color Ltda / Embratur).

O Canindé de São Francisco é um município no extremo noroeste de Sergipe, distante213km da capital Aracaju, sendo muito procurado pela incrível região do Vale dos Mestres, com vegetação intocada, cânions e cavernas com pinturas rupestres datadas de 3 mil anos. A região se tornou um belo destino para ecoturismo, devido as belas paisagens e formações rochosas banhadas pelo Rio São Francisco.


Parque Nacional de Aparados da Serra


Aparados da Serra (Foto: Roberta Martins / Blog Territórios).

O Parque Nacional de Aparados da Serra é uma área de preservação ambiental localizada na Serra Geral, local onde se formam imensos desfiladeiros na fronteira natural entre os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As trilhas do Vértice e do Cotovelo são, junto ao Cânion do Itaimbezinho (Leia a experiência do blog Viagens Cinematográficas), as principais atrações turísticas do parque, sem dúvida um dos lugares mais bonitos do Brasil.


Pico da Bandeira


Nascer do sol no Pico da Neblina (Foto: Eros Filho).

O Pico da Bandeira está localizado no Parque Nacional do Caparaó, na divisa entre os municípios de Ibitirama, Espírito Santo, e Alto Caparaó, Minas Gerais. O Pico é o mais alto da Região Sudeste e terceiro do Brasil, mas é a mais acessível das montanhas altas do Brasil, pois existem trilhas muito bem sinalizadas a partir do Espírito Santo. Sempre tive o sonho de ir para ver o sol nascendo sobre as nuvens.


Cavernas do Petar


Cavernas do Petar (Foto: Blog 1000 Dias).

O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) sempre foi motivo de minha curiosidade, principalmente porque muitas escolas aqui de São Paulo sempre fizeram excursões para explorar as cavernas. Localizado no sul do estado, possui dezenas e dezenas de cachoeiras, numa área de Mata Atlântica que se manteve preservada, além de ter uma das maiores concentrações de cavernas do planeta, mais de 350.

Maracajaú


 Parrachos de Maracajaú (Foto: www.abihrn.com.br)

A Praia de Maracajaú fica 60 Km ao norte de Natal e ficou conhecida como o caribe brasileiro, devido à belezas das praias e azul do mar. É famosa pela barreira de corais popularmente chamada de parrachos, que está distante 7 Km da costa, mas durante a maré baixa se transforma numa imensa piscina natural de água cristalina.


Alter do Chão


Praia em Alter do Chão (Foto: www.santaremconexao.com).

Alter do Chão está localizada no município de Santarém, no estado do Pará. É o principal ponto turístico da região, pois abriga a praia de água doce mais bonita do mundo, segundo eleições de revistas internacionais. As praias têm areia branca e água cristalina do Rio Tapajós, formando um incrível espetáculo quando encontra o Rio Amazonas.


Parque Nacional da Chapada das Mesas


Mesa em laje alagada nas Cachoeiras Gêmeas, região de Carolina (Foto: Blog 1000 Dias).

A Chapada das Mesas, na região sul do Maranhão, é extremamente rica em espécies de animais e de plantas, sem falar no alto potencial do ecoturismo devido a suas belezas naturais, incríveis paisagens, rios, lagoas, cachoeiras e os chapadões, sendo um alternativa bastante procurada para o turismo no Maranhão.

Arquipélago dos Abrolhos

Foto gentilmente cedida pelo leitor José Zanini.

Localizado no litoral sul da Bahia, o Arquipélago de Abrolhos é composto por cinco ilhas distantes 72 km da costa. O parque oferece excelentes pontos para mergulho livre e autônomo, devido as formações coralinas que abrigam grande diversidade de fauna marinha. Em terra firme, a atração fica por conta das aves e formações rochosas que compõe uma das paisagens mais excêntricas do Brasil. A partir de julho, quando a temperatura da água é mais fria, inicia-se a temporada para avistar baleias jubarte.


Monte Roraima


Monte Roraima (Foto: Roberta Martins / Blog Territórios).

O Monte Roraima é uma montanha localizada na fronteira de três países da América do Sul, entre Brasil, Venezuela e Guiana. Constitui um tepui, um tipo de formação de mesa característico do Planalto das Guianas. Delimitado por falésias de cerca de 1 km de altura, seu platô apresenta um ambiente totalmente diferente da floresta tropical e da savana que se estende a seus pés. A vontade de fazer a expedição surgiu quando vi o Guia do Monte Roraima, produzido pela Roberta.


São Miguel dos Milagres

Praia em São Miguel dos Milagres (Foto: www.myfashionlife.com.br).

A pequena São Miguel dos Milagres é uma cidadezinha no estado de Alagoas que começou a chamar a atenção dos turistas por suas lindas praias e maneira como o tempo passa devagar. O turismo em massa ainda passa longe daqui, não se saber por quanto tempo, por ser definitivamente um dos lugares mais lindos do Brasil.
Fonte: Quero viajar mais
Leia mais: http://www.queroviajarmais.com/lugares-lindos-conhecer-brasil/#ixzz4Jxb3o08o
© Todos direitos reservados a Quero Viajar Mais. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial
Follow us: @QueroViajarMais on Twitter | QueroViajarMais on Facebook