RÁDIO COMUNITÁRIA LIBERDADE FM AO VIVO

Clique nas imagens para ver as últimas postagens do blog

sexta-feira, 24 de junho de 2016

UFFS abre processo seletivo para professor substituto de História

Foto Divulgação
Por Assessoria de Imprensa UFFS
Iniciam hoje (24) de junho as inscrições do processo seletivo para a contratação de professores substitutos na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) – Campus Erechim. São duas vagas, nas áreas de História da América, com 20 horas semanais, e na área de Ensino de História, com regime de trabalho de 40 horas semanais.

Para a vaga de História da América, requer-se Graduação em História e Mestrado em uma destas áreas: História, Educação, Ciências Sociais, Geografia, Filosofia ou Interdisciplinar em Ciências Humanas. Já para a vaga de Ensino de História, a exigência é Graduação em História e Mestrado em História ou em Educação.

Estão impedidos de assumir os cargos os candidatos que já tenham tido vínculo com a Administração, conforme a Lei Nº 8.745/93, nos últimos 24 meses; e os candidatos que participem de sociedade privada na condição de administrador ou sócio-gerente conforme Lei 8.112/90.

A inscrição é gratuita, e os documentos para a inscrição devem ser entregues na própria UFFS – Campus Erechim, na Sala 402 do Bloco A, até as 17h do dia 1º de julho. O câmpus está localizado na Rodovia RS 135, Km 72 – Erechim-RS.

O processo seletivo tem duas etapas: prova de títulos e didática. Para a prova de títulos, os candidatos devem entregar, junto com o requerimento de inscrição (Anexo V do Edital), o currículo documentado (constando apenas os títulos indicados no Anexo III). Já a prova didática consistirá em uma aula de trinta a quarenta minutos para a banca examinadora, que avaliará os conhecimentos e a capacidade didática do professor. O resultado final está previsto para 13 de julho.

A remuneração varia de R$ 2.814,01, para graduados, a R$ 5.143,41, para doutores. O auxílio-alimentação é fixado no valor de R$ 458. O processo seletivo terá validade pelo período de 02 (dois) anos, sendo renovável por igual período, a critério da UFFS, a contar da data da homologação do resultado final.

Esclarecimentos ou outras informações sobre o processo seletivo poderão ser obtidos no endereço: https://concursos.uffs.edu.br/

quinta-feira, 23 de junho de 2016

UPF - Curso Técnico em Enfermagem participa de oficina de saúde em Constantina

O Curso Técnico em Enfermagem do Centro de Ensino Médio Integrado UPF Campus Sarandi participou, no dia 18 de junho de 2016, de uma oficina de saúde, realizada junto com a Secretaria Municipal de Saúde do município de Constantina (RS). Participaram 26 alunos, sob orientação da professora enfermeira Marli Schmidt.

Durante a ação, foram oferecidos serviços de aferição de pressão arterial, teste de glicemia capilar, teste de visão, índice de massa corpórea, entre outros. De acordo com a professora Marli, as atividades desenvolvidas junto à comunidade foram de grande importância para os alunos, pois saíram do contexto da sala de aula para vivenciar a realidade junto à sociedade, aprimorando as funções e uma preparação diferenciada de novas perspectivas de atuação profissional para a área técnica em enfermagem.

A ação foi denominada “Dia da Solidariedade”. Além da comunidade, a iniciativa contou com a presença do diretor do Campus Sarandi, Gilberto Colli, do prefeito de Constantina, Leomar José Behm, do secretário de Saúde e de funcionários da unidade da saúde.

Conforme os organizadores dessa ação, fortalecer ações e estreitar as relações com os órgãos de gestão pública, participando do desenvolvimento de políticas sociais, por intermédio da direção, de professores, alunos e funcionários em diferentes espaços da vida social faz parte dos objetivos da Universidade de Passo Fundo.

Foto: Divulgação
Oficina de saúde foi realizada no município de Constantina

Assessoria de Imprensa
Universidade de Passo Fundo
Telefone: 0xx 54 3316 8142 / 3316 8110 / 3316 8138
http://www.upf.br
E-mail: imprensa@upf.br
Passo Fundo – RS

Curso Introdução ao novo Código de Processo Civil - UPF, Campus Sarandi

Curso Introdução ao novo Código de Processo Civil e seus aspectos práticos inicia na sexta-feira (24)
Aulas serão ministradas na UPF, Campus Sarandi
A Universidade de Passo Fundo (UPF), Campus Sarandi, promove, nesta sexta-feira e neste sábado, dias 24 e 25 de junho, o curso de extensão Introdução ao novo Código de Processo Civil e seus aspectos práticos (lei nº 13.105/2015). A atividade, a ser ministrada pelas professoras Cibele Stefani Borguetti e Cinara Liane Frosi Tedesco, propõe um estudo sobre as alterações legislativas no novo CPC, de forma a oportunizar a atualização profissional a partir da abordagem da parte geral do novo projeto e da sua aplicação prática processual.
As aulas vão ser desenvolvidas no Campus Sarandi, junto à Faculdade de Direito. Na sexta-feira (24), os encontros ocorrem das 15h às 18h e das 18h30min às 22h30min, e, no sábado (25), das 8h às 12h. Interessados em participar devem se inscrever pelo site www.upf.br/eventos até esta quinta-feira, dia 23 de junho. O investimento é de R$ 300,00.
Assessoria de Imprensa
Universidade de Passo Fundo
Fone: 0xx 54 3316 8142 / 3316 8110 / 3316 8138
http://www.upf.br
E-mail: imprensa@upf.br
Passo Fundo – RS

Erva-mate é tema e pesquisa de mestrando da URI

Foto Divulgação
Por Assessoria de Imprensa
A erva-mate é tema pesquisa do mestrando em ecologia da URI Ederlan Magri. Com a orientação da professora Alice Teresa Valduga e colaboração do professor Vanderlei Decian, ambos vinculados ao Programa de Pós-Graduação (PPG) em Ecologia, estão trabalhando em um projeto que visa rastrear a cadeia produtiva da erva-mate do Brasil.

O objetivo é apresentar à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) os indicadores que possam encontrar índices mais elevados de metais pesados. Este fato gerou polêmica no segundo semestre de 2014, quando foram determinadas, em poucos lotes, concentrações de Cádmio e Chumbo em erva-mate destinada à exportação, acima do permitido por este órgão.

Entre os meses de dezembro de 2015 e fevereiro de 2016 os pesquisadores viajaram pelos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná realizando coletas de folhas de erva-mate in natura, solo e erva-mate processada, para analisá-las e dar sequência à pesquisa.

Os resultados preliminares demonstram que as concentrações destes metais pesados estão relacionadas com suas respectivas biodisponibilidades no solo, ou seja, está associada com as características específicas de cada solo. Assim, a ideia de que o problema estaria na fase industrial estaria praticamente descartada.

Este estudo é financiado pelos SINDIMATES do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, consistindo em um dos exemplos de interação da pesquisa científica, promovido pelo PPG Ecologia da URI, fornecendo respostas rápidas à sociedade.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Mais um trabalho realizado pela IM Informática

Plastificação e encadernação ligue 54 9611 0186.

Nas imagens plastificação de carteiras de sócios da Associação Italiani In Brasile.







quarta-feira, 15 de junho de 2016

Preservar o papagaio para preservar toda a natureza

Projeto destaca que a existência da espécie em um determinado espaço assegura que o ambiente está preservado

São 25 anos de trabalho. Esse é o saldo do tempo de atuação do Projeto do Papagaio Charão em Carazinho e região, além de outros estados do país. O objetivo é propiciar as condições ideais para que a espécie saía da lista de animais em extinção. Além do charão, o papagaio do peito roxo também é alvo das ações do projeto.

O papagaio funciona como um indicador da preservação de determinado ambiente. “Ele é um animal sensível e se há a sua ocorrência em alguma região, é porque a mata no entorno possui uma natureza mais próxima da original do que as demais. Utilizamos a existência do papagaio em algum local como um indicador da qualidade ambiental deste espaço”, explica o pesquisador Roberto Tomasi Júnior.

O especialista em Biologia da Conservação acrescenta que “em muitas localidades o papagaio foi extinto regionalmente. Conservando a vida da espécie, preservamos todo o ambiente ao redor e temos água e ar de qualidade. O objetivo através do papagaio é manter todo o equilíbrio da natureza”, pontua.

O projeto não recebe verbas públicas. A iniciativa conta com o apoio de instituições, como a Fundação Boticário, cujo projeto atual tem a duração de quatro anos. Tanto o charão quanto o peito roxo são ameaçados de extinção, sendo o primeiro em caráter vulnerável e o segundo em nível de perigo.

Giana Webber Azeredo, bolsista do projeto e formada em Biologia, relata que deverá haver uma maior conscientização sobre as espécies no futuro. “2016 foi instituído como sendo o ano do papagaio. Por conta disso, muitas informações sobre o animal são divulgadas em zoológicos por todo o país, o que deve resultar em uma maior educação ambiental”, acredita.

Mudança de hábito do animal
Tomasi relata que o projeto vem percebendo uma mudança de costume no papagaio. “Antes, nesta época do ano, eles se concentravam no Rio Grande do Sul. Hoje, por conta da falta de araucárias no Estado, eles acabam indo para Santa Catarina. O papagaio do peito roxo faz cerca de dez quilômetros por dia, já o charão pode ultrapassar os 40 quilômetros em 24 horas”, explica o pesquisador.

Depois, as espécies voltam para o Rio Grande do Sul. “Não são encontrados ninhos deles em Santa Catarina. Eles acabam voltando para o nosso estado para a reprodução”, acrescenta. Aí reside um problema: “as condições ideais para a reprodução são árvores de grande porte com cavidades. É difícil encontrar isso na natureza. Por essa razão, instalamos em vários lugares 300 caixas ninho para charão e outras 150 para o papagaio do peito roxo”, revela Tomasi.

Por: Rodolfo Sgorla da Silva
Fonte: DM

Quer ficar informado sobre Meio ambiente Clique Aqui

segunda-feira, 13 de junho de 2016

Lâmpadas incandescentes não serão mais vendidas no país a partir do fim do mês


As lâmpadas incandescentes não vão mais ser vendidas no Brasil a partir do dia 30 de junho. Os estabelecimentos, importadores e fabricantes serão fiscalizados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), e quem não atender à legislação poderá ser multado.

A restrição foi estabelecida em uma portaria interministerial de 2010, que tem como objetivo minimizar o desperdício no consumo de energia elétrica. Uma lâmpada fluorescente compacta economiza 75% em comparação a uma lâmpada incandescente de luminosidade equivalente. Se a opção for por uma lâmpada de LED, essa economia sobe para 85%.

A venda de lâmpadas incandescentes começou a ser proibida no Brasil em junho 2012, com a exclusão do mercado de lâmpadas com potência acima de 150 watts (W). Depois, foi a vez das lâmpadas entre 60W e 100W, em 2013. Em dezembro de 2014, foram substituídas as lâmpadas de 40W a 60W. O processo de substituição terminará em 30 junho deste ano, com a participação de unidades com potência inferior a 40W.

“A proibição da venda das lâmpadas incandescentes no país ajuda a estimular a adoção de opções mais econômicas e duráveis, como o LED, já adotado amplamente em outros países como China, Índia, Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, Cuba, Austrália, Argentina, Venezuela, na União Europeia”, informa o Ministério de Minas e Energia.
Edição: Juliana Andrade
Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil

Selecionados no Sisu têm até amanhã para fazer a matrícula

Os estudantes selecionados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) têm
até amanhã (14) para fazer a matrícula nas instituições de ensino. O
estudante deve verificar, na instituição de ensino em que foi aprovado, o
local, horário e os procedimentos para a matrícula.


O resultado está disponível para consulta na página do programa,
na internet. Para acessar o resultado, o estudante precisa do número de
inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 e da senha.

O Sisu seleciona candidatos às vagas em universidades federais e
institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia com base na nota
do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Puderam participar do Sisu os
estudantes que fizeram o Enem de 2015 e não tiraram 0 na redação.

Nesta edição foram ofertadas 56.422 vagas, em 65 universidades federais e estaduais e institutos federais.

Lista de espera

Está aberto o prazo para aqueles que não foram selecionados se
inscreverem na lista de espera do programa. Isso pode ser feito até o
dia 17 de junho. Os candidatos na lista começarão a ser convocados a
partir do dia 23 de junho.

Para participar da lista, o candidato deve acessar o sistema e, em seu
boletim, clicar no botão que corresponde à confirmação de interesse em
participar da lista de espera do Sisu. É importante certificar-se de que
sua manifestação foi registrada. Ao finalizar a confirmação, o sistema
emitirá uma mensagem.
Agencia Brasil
Edição: Maria Claudia
Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil

As rádios comunitárias foram as primeiras a sofrerem retaliações do Governo provisório de Temer

A dificuldade do governo em organizar o novo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações já está causando problemas para o fluxo de processos em curso. Pelo menos um edital de radiodifusão comunitária previsto já teve que ser adiado e possivelmente outros que estavam previstos para o mês de junho devem ter o mesmo destino. Os editais ficam sob a responsabilidade da Secretaria de Radiodifusão, que existia no extinto Ministério das Comunicações mas ainda não entrou na nova estrutura do MCTIC. Nem mesmo a nomeação da secretária Vanda Bona Nogueira, anunciada pelo ministro Gilberto Kassab, aconteceu ainda.
No último dia 6 de junho, o ministério deveria ter publicado o edital para rádios comunitárias em 67 localidades, rádios estas destinadas a povos tradicionais, conforme o Plano Geral de Outorgas. Da mesma maneira, estão previstos ainda, para 20 de junho, editais para outorgas em mais 88 municípios para rádios comunitárias de interesse geral. Até o final do mês, estava na fila ainda um edital para 86 FMs educativas e depois um novo edital para outorgas de FMs e TVs educativas em 31 municípios .
Questionado sobre o atraso, a assessoria de comunicação do ministério respondeu que "os editais não foram suspensos, tiveram apenas as datas de publicações postergadas, por conta da reorganização estrutural pela qual passa o ministério. Em tempo, informamos que o Plano Nacional de Outorgas será mantido."
Samuel Possebon
Fonte: RÁDIO COMUNITÁRIA ZUMBI DOS PALMARES FM

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Preço do livro caiu em 2015


Pesquisa do setor editorial revela queda de 5,55% no preço médio real do livro em 2015.

Em 2015, o setor editorial brasileiro produziu 447 milhões de exemplares, vendeu 389 milhões e faturou R$ 5,23 bilhões. É o que demonstra a nova edição do estudo, realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), para a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL).

Em relação a 2014, o faturamento teve queda nominal de 3,27%, o que significa recuo real de 12,63%, considerada a variação do IPCA no ano passado. O total de livros produzidos diminuiu 10,87% e o de vendidos, 10,65%.

O preço médio do livro, exclusivamente no mercado, cresceu 4,57% em termos nominais, significando queda real de 5,55%. Essa variável retoma, assim, a trajetória descendente verificada há alguns anos, que havia sido interrompida em 2014. A pesquisa indica, ainda, que foram editados 52,42 mil títulos, dos quais 17,28 mil são novos. O total de títulos teve queda de 13,81%. Levando em conta apenas os novos, o recuo foi de 10,39%.

Como o livro chega ao leitor.

As livrarias, com 130,64 milhões de exemplares vendidos, ou 51,30% do total comercializado no mercado, excluindo-se governo, seguiram, em 2015, como o principal canal de venda das editoras. Os distribuidores responderam por 43,60 milhões de livros, o equivalente a 17,12%. O segmento porta a porta teve participação importante, de 9,66%, com 24,60 milhões de livros.

A comercialização em igrejas, templos, supermercados e escolas, além de livros comprados por empresas, também tem relevância. A venda direta nos sites das editoras é muito pequena, com participação de apenas 0,83% do total.

Quanto aos conteúdos digitais, venderam-se 1,21 milhão, com faturamento de R$ 16,79 milhões. Os dados, contudo, correspondem apenas a um recorte do mercado, já que ainda não há informações precisas sobre todo o universo de editoras.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Estudantes podem fazer inscrições para o ProUni a partir de hoje

As inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni) começam hoje (7) e vão até as 23h59 de sexta-feira (10), no site do programa. Ao todo, serão ofertadas 125.442 bolsas em 22.967 cursos de 901 instituições de ensino superior. Neste segundo semestre vão ser oferecidas 57.092 bolsas integrais e 68.350 parciais.

As bolsas estão disponíveis para consulta. O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 13 deste mês. Os cursos de administração, com 12.500 vagas, direito, 8.561, e pedagogia, 7.139, são os que oferecem mais vagas. Além disso, os cursos de engenharia somados têm 14.410 vagas.

O número de bolsas é 8,1% maior em relação às 116 mil ofertadas no segundo semestre do ano passado. No entanto, é a primeira vez desde 2008 que o número de bolsas parciais supera as bolsas integrais.

O programa é dirigido tanto aos estudantes egressos do ensino médio da rede pública, quanto àqueles que tenham vindo da rede particular na condição de bolsistas integrais. Podem concorrer a bolsas integrais os estudantes que comprovem renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Às bolsas parciais, podem concorrer aqueles com renda familiar per capita máxima de três salários mínimos.

Para se inscrever na segunda edição de 2016, o candidato deve ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 e obtido no mínimo 450 pontos na média das notas. Além disso, não pode ter tirado nota 0 na redação. No momento da inscrição, será necessário informar o número de inscrição e a senha usados no Enem.

Fonte: EBC

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Especialistas em educação assinam manifesto contra retrocessos

Um grupo de especialistas que atuou na produção da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) lançou, nesta quinta-feira, 2, um manifesto contra o movimento Escola Sem Partido, apoiado pelo governo provisório de Michel Temer; o documento, assinado por 116 representantes de universidades, do Conselho Nacional de Educação e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), é uma reação aos recentes acenos feitos pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, ao movimento Escola Sem Partido; na semana passada, o ministro causou polêmica ao receber Alexandre Frota, defensor do projeto.

247 - Um grupo de especialistas em educação, que atuaram na produção da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) lançou, nesta quinta-feira, 2, um manifesto contra os recentes retrocessos do movimento "Escola Sem Partido", apoiado pelo governo provisório de Michel Temer. O documento é assinado por 116 representantes de universidades, do Conselho Nacional de Educação e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

O manifesto é uma reação aos recentes acenos feitos pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, ao movimento escola sem partido. Semana passada, Mendonça Filho abriu as portas de seu gabinete para receber o ator Alexandre Frota e representantes do movimento Revoltados online para tratar da pauta do referido movimento.

Até o momento, o ministro Mendonça Filho não recebeu a comissão de especialistas que trabalhou na construção da BNCC. Para elaboração do documento da base, a comissão recebeu mais de 12 milhões de contribuições na internet, contou com mais de 700 reuniões de discussão e com a participação de 200 mil professores e 45 mil escolas.

"Iniciativas de reformulação da segunda versão da BNCC que representem interrupções do processo, já em pleno curso, de discussões com estados, municípios e Distrito Federal põe em risco tantos os princípios que fundamentaram a construção daquele documento, como a proposição de direitos e objetivos de aprendizagem e desenvolvimento alicerçados nesses princípios", diz o documento. O manifesto também expressa preocupação com as ações recentes no âmbito da base.

O documento também é um posicionamento público desses especialistas em relação a discussões sobre a BNCC, que ocorreram esta semana, na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Na ocasião, apoiados por deputados como Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP), Pastor Feliciano (PSC/SP), Jair Bolsonaro (PSC/RJ) e Izalci (PSDB/DF), representantes do escola sem partido tomaram conta dos debates.

O coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação e membro do Fórum Nacional de Educação, Daniel Cara, que participou dos debates na Câmara, se posicionou contra retrocessos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Para Cara, "projeto escola sem partido significa escola sem educação".

No início de maio, o então ministro da Educação, Aloizio Mercadante, entregou a segunda versão da Base Nacional Curricular Comum ao Conselho Nacional de Educação. Na ocasião, representantes de universidades, de movimentos sociais ligados à educação e da sociedade civil acompanharam e apoiaram a iniciativa.

O ex-ministro defendeu a continuidade das discussões da base como política de estado, não de governo. "A Base vai assegurar os objetivos e direitos de aprendizagem. Ou seja, qualquer estudante, em qualquer série, em qualquer escola do Brasil, tem de ter um objetivo e um direito-base de aprendizagem, e é isso que ela procura assegurar", disse Mercadante.

A nova etapa da Base, iniciada com a entrega da segunda versão, agora, é conduzida pelo CNE, Consed Undime. As entidades estão organizando seminários nas 27 unidades federativas até junho próximo pra debater o documento.

Veja aqui a íntegra do manifesto dos especialistas em educação que trabalharam na construção da BNCC.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Adelsi Eloi Echer

Adelsi Eloi Echer é natural de Três Palmeiras estado de Rio Grande do Sul. Nasceu em 1958. É filho de Pedro F. Rebellatto Echer e de Ana Adelvina Urio Balena. Chegou em Laranjeiras do Sul dia 11 de setembro de 1984 e constituiu-se como pequeno agricultor. Casou-se com Odete Bussolaro e teve dois filhos, Charles e Patric. Atualmente mora na comunidade de Alto São João, município de Laranjeiras do Sul.Estudou apenas até a 5ª série. Há muitos anos navega em pensamentos sobre florestas e rios. Escreve poemas. O MENINO GRITADOR QUE PROTEGIA A FLORESTA é seu primeiro livro.

O povo inventa cada jeito de colher laranja que quase não dá pra acreditar

Brincadeiras a parte mas Graças a Deus nosso amigo Adjahyr Boeno
esta bem, foi só um susato



terça-feira, 31 de maio de 2016

AUTOMÓVEIS DO BRASIL TERÃO PLACAS DO MERCOSUL A PARTIR DE 2017

Semelhante à placa utilizada na União Europeia, o modelo do padrão Mercosul terá fundo branco com a parte superior com uma faixa azul, com o lado esquerdo possuindo o logotipo do Mercosul, o lado direito a bandeira do Brasil e, na parte central, o nome do país. A cor das letras e dos números também muda: preta para veículos comuns, verde para os em teste, vermelha para os comerciais, azul para os oficiais e dourada para veículos diplomáticos.
Antes com três letras e quatro números, a placa inverterá essa ordem e possuirá quatro letras e três números, dispostos agora de forma aleatória (com o último caractere sendo sempre numérico para não interferir nos rodízios municipais). Isso, provavelmente, acabará com a possibilidade de personalização de chapas.
No padrão atual de placas, existem 175 milhões de combinações possíveis enquanto que, no novo, esse número subirá para mais de 450 milhões. Além do Brasil, o novo padrão de placas de identificação do Mercosul será adotado pelos países integrantes do bloco: Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela. A iniciativa vai facilitar a circulação e a segurança entre as nações do bloco, além de assegurar a existência de um banco de dados conjunto.
Além disso, não haverá mais um padrão de letras correspondente a um estado ou ao país. Hoje, é possível saber de onde vem um carro apenas pelo início da placa – São Paulo, por exemplo, costuma ter veículos emplacados de C a H – mas isso acabará com as novas placas.
Muitas medidas de segurança e novidades tecnológicas foram adicionadas a nova placa para inibir falsificações e facilitar a fiscalização nas fronteiras. Além da marca d’água com as palavras “Mercosur Brasil Mercosul”, haverá também uma faixa holográfica semelhante à das notas de R$ 20,00 e um QR code com dados do fabricante, data de produção e número de série da placa. Informações. VEJA.

Fonte: RSNORTE

URI Online Judge realiza prova preparatória para olimpíada de informática

O Portal URI Online Judge, desenvolvido pelo Coordenador do Curso de Ciência da Computação da URI, professor Neilor Tonin, juntamente com o ex-acadêmico e mestrando em Ciência da Computação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Jean Bez, promoveu, no último dia 22, a prova preparatória para a primeira fase da Olimpíada Brasileira de Informática (OBI).

Foram cinco horas de uma prova que foi disponibilizada em português, inglês e espanhol por uma equipe coordenada por Neilor, que é membro do Comitê Nacional da OBI. Além do professor, também compõem a equipe os professores Leandro Zatesko, da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) de Chapecó; Lucas Negri, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR); e Marcelo Pinto, da UNILA, de Foz de Iguaçu.

Além dos professores, participaram da equipe os acadêmicos e pós-graduandos Caio Russi, da UNOESTE/SP; Cristhian Bonilha, da UTFPR; Marianne Linhares, da UFCG, Paraíba; Thalyson Nepomuceno, da UECE, Ceará; e Victor Peixoto, atualmente estudando na University of Victoria (EUA).

A conversão da prova para o espanhol foi feita por uma equipe argentina, coordenada pelo professor Daniel, de Algoritmos y Estructuras de Datos, da Argentina, com apoio de alguns acadêmicos de sua Universidade e também os acadêmicos da Universidade de Buenos Aires, Franco Assenza e Alejandro Candioti.

A prova foi aberta e quem participou teve como desafio 14 problemas inéditos criados pelos autores. Foram 1089 competidores que participaram da prova, realizada em tempo real no portal. Conforme o professor Neilor, houve um crescimento de 30% em relação à etapa realizada no ano passado.

UFFS oferece 251 vagas de graduação na segunda edição do SiSU 2016

Está aberto o período de inscrições para a segunda edição do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) para o ano de 2016. São oferecidas 56.422 vagas em 65 instituições públicas de ensino superior. O prazo vai até as 23h59 do dia 2 de junho. A UFFS oferece 251 vagas em seis cursos de graduação, nos campi Chapecó, Laranjeiras do Sul e Passo Fundo.

A inscrição pode ser feita por aqueles que participaram da edição de 2015 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), e que não zeraram a prova de redação. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site http://sisu.mec.gov.br.

O interessado pode se inscrever em até duas opções de vaga e incluí-las em ordem de preferência. O resultado da única chamada será divulgado no dia 6 de junho de 2016. O aprovado deverá efetivar a matrícula na instituição em que foi selecionado na chamada regular nos dias 10, 13 e 14 de junho.

Há ainda a possibilidade de os participantes que não foram convocados para sua primeira opção participarem da lista de espera, a qual será divulgada a partir do dia 23 de junho pelas instituições de ensino superior.

Vagas ofertadas

Campus Chapecó

Ciência da Computação (Noturno): 50 vagas
Administração (Noturno): 50 vagas
Pedagogia (Noturno): 50 vagas
Medicina (Integral): 40 vagas

Campus Laranjeiras do Sul

Interdisciplinar em Educação no Campo (Integral): 30 vagas

Campus Passo Fundo


Medicina (Integral): 31 vagas

Para detalhes do Processo Seletivo UFFS/2016.2 acessar o Edital Nº 444/UFFS/2016, no endereço www.uffs.edu.br, aba Boletim Oficial > Editais.

Acervo da Biblioteca do Senado pode ser acessado pela internet

A Biblioteca do Senado está completando 190 anos de existência como uma das maiores do país. Além do acervo de mais de 500 mil volumes, entre livros, folhetos e periódicos, possui 280 mil publicações digitais. Segundo a coordenadora da biblioteca, Helena Celeste, as transformações tecnológicas ocorridas nos últimos anos exigiram um grande esforço de toda a equipe para adaptar os conteúdos, que antes eram disponibilizados apenas no meio físico, para a plataforma digital.

— A sociedade está migrando para a era digital. Temos, atualmente, os livros digitais, os periódicos eletrônicos e as bases de dados com texto integral. O cidadão não precisa, necessariamente, vir à biblioteca para dispor da informação que precisa — afirmou.

A Biblioteca Digital do Senado Federal foi criada em 2006 e completará dez anos em novembro deste ano. As 280 mil publicações digitais estão disponíveis, na internet, para qualquer pessoa, no Brasil e no exterior. As obras são de domínio público ou possuem direitos autorais cedidos pelos proprietários, possibilitando acesso e download gratuitos. O endereço é www.senado.leg.br/biblioteca. São livros, obras raras, artigos de revista, notícias de jornal, produção intelectual de senadores e servidores do Senado e legislação em texto e áudio, entre outros documentos.

Obras raras


Pelo menos 12 mil exemplares de obras raras fazem parte do acervo. As publicações ficam armazenados numa sala-cofre climatizada e podem ser consultadas. Entre elas, a mais antiga e de maior valor é o livro Novus Orbis (Novo Mundo), descrição histórica, geográfica, científica, etnológica e linguística da América. Datado de 1633, é de autoria de Johannes de Laet. A publicação também pode ser acessada on-line na biblioteca digital.

— Cerca de mil obras raras já foram digitalizadas. A nossa intenção é continuar esse trabalho de digitalização, tornando acessível esse tesouro literário aos cidadãos — disse Helena.

Para celebrar os 190 anos da biblioteca, um catálogo de obras raras que contam a história da Casa encontra-se em fase de produção. O lançamento está previsto para dezembro.

Os usuários também podem consultar o acervo de três milhões de recortes dos principais jornais do país sobre os mais variados assuntos, coletados desde 1974. Desse total, 265,8 mil já haviam sido digitalizados até abril deste ano.

— Agora, estamos com o projeto de digitalizar, por meio de um contrato, mais recortes de jornais. Como são muitos materiais, a nossa ênfase está sendo separar todas as notícias que envolvam os senadores e o Senado — salientou.

sábado, 28 de maio de 2016

Cinco Dias Em Paris - Danielle Steel

Titulo: Cinco Dias Em Paris
Autora: Danielle Steel
Sinopse: Peter Haskell, diretor-presidente de um grande laboratório farmacêutico, e Olivia Thatcher, mulher marcada pela morte do filho, vítima de câncer aos dois anos de idade, encontram-se casualmente numa noite de junho na Place Vendôme. Enquanto compartilham seus dramas pessoais num café de Montmartre, descobrem a paixão, selada na noite segui nte num quarto de hotel. Ao final de cinco dias, Peter e Olivia percebem que suas vidas, antes tão diferentes, estão ligadas de forma definitiva, mas não podem prever o que acontecerá quando voltarem para casa.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

O Rancho - Danielle Steel

Titulo: O Rancho
Autora: Danielle Steel
Sinopse: Mary, Tanya e Zoe eram amigas inseparáveis na faculdade. A vida, porém, cuidou de afastá-las. A primeira casou-se com um advogado e não conseguiu superar o drama da morte do filho. Tanya tornou-se uma cantora famosa, mas cheia de frustrações. Zoe, a mais liberal de todas, abraçou a medicina como um sacerdócio. Vinte anos depois, as três conseguiram algumas semanas livres da rotina. Era tudo de que precisavam para se reencontrar; em um rancho no Wyoming. Ao pé das montanhas Teton, as três mulheres vão relembrar o passado, curando feridas e revelando segredos que tornarão mais real o verdadeiro significado da palavra amizade.