RÁDIO COMUNITÁRIA LIBERDADE FM AO VIVO

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

RAR Energia anuncia gerador elétrico, a partir da força gravitacional


Está nos jornais de Porto Alegre hoje! Quando li a frase "A energia contida na gravidade do planeta" achei gozada a forma de se referir a usinas hidrelétricas, mas a seguir o texto informa que não é nada disso. Esse gerador será instalado dentro da cidade mesmo! E trata-se, nada mais, nada menos, de um moto contínuo! Vamos ter energia infinita a partir de agora! Porto Alegre terá o primeiro moto contínuo (também conhecido como motor ou moto perpétuo) de uso comercial instalado no planeta! (hmmmm, e talvez nem seja o primeiro...).


Vejam a promessa da empresa (mantive a grafia, mas os grifossão meus!):
"Vamos construir em Porto Alegre - na Av. Pátria, 195 - um gerador de energia acionado por um sistema mecânico que se alimenta exclusivamente da força da gravidade. Será a primeira máquina com esse tipo de tecnologia no mundo. Temos uma pequena máquina para experiência e teste em nossa sede, à Rua Pedro Ivo, 933. O sistema mecanico foi criado com uma concepção especial para captar e aproveitar a energia contida na gravidade do planeta, em qualquer momento e lugar, sem nenhuma poluição ou calor.

Esta tecnologia foi inteiramente desenvolvida por nossa empresa e consiste, então, em um moto contínuo, com sobra de energia para ser aproveitada, em um movimento mecânico, contínuo e eterno. Esta máquina tem semelhança a um motor a combustão, em que um conjunto de pesos representa o combustível e os pistões, que acionam bielas conectadas a um virabrequim. Outra máquina igual será  construída nos Estados Unidos, na planta da Incobrasa Industries Ltd., uma  empresa do grupo, situada em Gilman, Illinois.Ambas as máquinas são modelos  de demonstração, com capacidade para gerar 30kW, e estarão prontas na metade do próximo ano. Essa técnica permite a construção de grandes geradores.

RAR Energia Ltda."

Realmente o mundo acabou... ou no dia 21/12/2012 o que mudou foram as leis da física!

Antes de mais nada vamos esclarecer o fundamental: por mais frustrante que seja, e por mais dogmático que soe, não é possível fazer uma máquina que viole a primeira (conservação da energia) ou a segunda (princípio da entropia) Lei da Termodinâmica! (que dizer de ambas?). O moto contínuo que viola a primeira lei é dito de tipo 1, o que viola a segunda lei, de tipo 2 (também teríamos o de tipo 3, que alega eliminar toda dissipação por atrito, o que, apesar de até poder ser aproximado, é, considerado tempo suficiente, também impraticável - sem falar na fadiga dos materiais). Para ignorar a primeira lei, essa máquina teria de gerar mais energia do que consome, e para violar a segunda, teria de ter um rendimento de 100%, e nenhuma das duas coisas é possível em nosso universo. Em um moto contínuo de tipo 2, todo calor que seria dissipado é transformado, sem perdas, em trabalho mecãnico, algo que só é possível nas historietas de Harry Potter.

Muitos já especularam sobre essa possibilidade, especialmente desde o advento da revolução industrial (imaginem se não seria estupendo mesmo!), mas sempre se encontra um "furo": ou não funciona mesmo, ou é fraude. Ingenuidade ou desonestidade.

Dizendo de uma forma mais contundente ainda, é IMPOSSÍVEL, segundo tudo que conhecemos, construir um  dispositivo com as características acima. Usando a excelente classificação de Mishio Kaku para os três tipos de impossibilidade física, teríamos:
Impossibilidades Classe I - "Tecnologias que são impossíveis agora, mas que não violam nenhuma lei da física". Exemplos, para Kaku são invisibilidade (por exemplo de aviões militares) e teletransporte em escala molecular (que não viola o princípio da conservação).

Impossibilidades Classe II - "Tecnologias que estão no próprio limite do atual conhecimento acerca do mundo físico", que levaria um tempo imprevisível para ser viabilizada. Kaku exemplifica com viagens no tempo

Impossibilidades Classe III - "Tecnologias que violam as leis conhecidas da física”, cujos mehores exemplos para Kaku são o moto perpétuo e a precognição.
Assim, a máquina sendo instalada em Porto Alegre é um fascinante exemplo de moto contínuo  do tipo 1 (talvez 3) que representa, portanto, uma Impossibilidade de classe III. Ah, o jargão técnico...

Enfim, acredita quem quiser!


A iniciativa é de uma empresa chamada RAR Energia Ltda. (cujoçáitchi inexiste) presidida pelo empresário da soja Renato Bastos Ribeiro (Incobrasa), mais conhecido por resgatar em 1986 a empresa Caldas Júnior - que publica o jornal Correio do Povo- até vendê-la à Igreja Record Universal do Reino de Edir Macedo em 2007. Atenção que esta empresa não é a RAR do Randon, que fabrica queijos e vinhos, produtos perfeitamente consistentes com os princípios de conservação da matéria e da energia.

Incrível como o apelo por energía fácil e inesgotável suplanta o espírito crítico. A pergunta mais óbvia a fazer seria: Se fosse posssível fazer esse tipo de dispositivo, porque até hoje ninguém o fez? Se foi porque somente agora certos materiais apareceram, como é que quem os desenvolveu não se adiantou e fez o seu? Sim, todos sabem que as patentes requeridas para moto contínuosabundam  em toda parte (casos clássicosBrasil, etc) mas isso só depõe contra a qualificação dos técnicos que as avaliam. Deveriam pendurar um poster em todos os seus escritórios contendo a primeira e a segunda Leis da Termodinâmica! (bem, nos EUA pelo menos proibiram conceder patentes a esses dispositivos...).

Não sabemos se esse anúncio visa apenas impulsionar os negócios da empresa na bolsa, mas os interessados deveriam prestar bastante atenção. A novidade aqui é que podemos visitar as instalações (leia o texto no anúncio acima), logo, já temos ummuseu das idéias impossíveis em Porto Alegre, e em grande estilo! Pessoalmente sou adepto da fabricação de maquetes daqueles modelos mais clássicos de moto contínuo, que poderiam ficar expostos no mesmo prédio junto à nova máquina. Acrescidos de placas explanatórias escritas pelo Professor Fernando Lang, claro.

Mais uma vez, o que mais me surpreende é a sedução dessa idéia, especialmente na área técnica (entre os engenheiros, mas há também entre alguns cientistas), o que talvez indique uma séria carência em nosso ensino básico. Outros exemplos chocantes dessa teimosia:
Divirtam-se, enfim, aprendendo a fazer sua própria patente de moto perpétuo e outras pérolas:
Pois cabe uma última observação para esclarecer que, ainda que seja possível surgirem modelos que efetivamente violem princípios tão férreos da ciência, eles nunca deixarão de ter de depor diante do tribunal da experimentação e mostrar a que vieram. Como dizia o velho Carl, que nos deixou muito antes do mundo acabar na semana passada, "proposições extraordinárias exigem demonstrações extraordinárias", e um achado desses viraria do avesso o edifício da física. Nada que não tenha acontecido antes, mas seria sensacional se ocorresse!

Por isso é fascinante ter um corajoso exemplar de moto contínuoaqui mesmo em Porto Alegre. Vamos combinar uma visita?

Um grande 2013 a tod@s!

(JAQ, v.4 31/12/2012)

15 comentários:

  1. Não querendo defender a ideia do moto-contínuo importa manifestar que muito do que hoje usamos foi "convencionado" como impossível há 1 ou 2 séculos atrás.
    Nos USA é bem conhecida a razão pela qual o registro de patentes deste tipo é proibido: chama-se PREJUÍZO, pois numa destas alguém atira no que vê e acerta no que não vê e acaba produzindo algum dispositivo que não gere despesas e isso, para a economia americana seria um desastre.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Rosangela. Em 1900 "voar" era impossível. Na mesma época, ou pouco antes, calculava-se que qualquer automóvel não poderia ultrapassar cerca de 33 km/h ou os ocupantes morreriam por falta de ar... Não se trata de jogar no lixo todas as Leis da Física, termodinâmica e etc. Muita coisa é -impossível- até que alguém, para surpresa de todos, e contra todos os princípios, a faça. A princípio, e teóricamente, a proposta da empresa RAR não me parece viável, mas eu não trataria o assunto com escárnio até que tivesse oportunidade de ver com meus próprios olhos. Até menos de uma década atrás os cientistas pensavam em processar todos os besouros por terem a audácia e ousadia de voar, contrariando todas as leis da aerodinâmica que diziam isso ser impossível...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. as leis da termodinâmica jamais disseram que era impossível voar caro "bybecker". E não confunda as épocas, Hj podemos "ver" o amanha com muito mais clareza e exatidão pq temos uma ciência, tecnologia e matemática mto apuradas do que naquela época, o que era possível ontem, é possível Hj, apesar de muito complexas as lei da natureza essas são imutáveis!!

      Excluir
  3. Quando li este anúncio, imediatamente lembrei-me do clássico problema* de se explicar para os leigos em Física e Engenharia a questão da 2a Lei da Termodinâmica.

    * Lembrei-me também de questões de ponta em Física, como "energia de ponto zero" e "feito Casimir", mas logo vi que não tratava-se de coisa alguma disso.

    Ainda mais simples é a questão banal de que sistemas que operam por gravidade, como uma inocente "gangorra" em uma praça, operam com jogos de energia potencial e cinética, e ali mesmo já se mostra onde se perde energia na forma de calor, e onde ela tem de entrar na forma de impulso por alguma criança para manter a brincadeira.

    Só espero que este empreendimento acabe por inocência, com os custos devidos por tal, e não no mais vergonhoso dos estelionatos.

    Lidar com egos de "novos descobridores de abandonadas pólvoras" seguidamente é difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que é a característica ondulatória da partícula?

      Como medir o salto quântico de um elétron para outra órbita?

      A física clássica está sendo suplantada.

      Excluir
    2. Ai é que está.

      Esta alegada máquina não funciona com fenômenos da Mecânica Quântica, e sim, com princípios da Física Clássica, e aí, conhecimentos de Termodinãmica já encerram a questão.

      Excluir
  4. Olá,

    Possuo um blog especializado neste sonho "impossível" de se tirar energia "do nada".

    Obrigado

    ResponderExcluir
  5. tem que ver isso funcionando, a principio não acredito em nada disso, vai contra os princípios elementares da física.

    ResponderExcluir
  6. Como era de se esperar, não funcionou.

    Adeus RAR Energia.

    ResponderExcluir
  7. É impressionante e chega a dar raiva da forma como vocês colocam as coisas. Deixa as pessoas tentarem ao menos quebrar esse sistema que escraviza os homens a décadas. O impossível está apenas em nossas mentes limitadas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, é impossível, sim. O sistema que faria a máquina funcionar é o mesmo que mantém o sistema planetário funcionando. Já conhecemos as leis que regem tudo isso. A máquina é uma brincadeira bem ou mal intencionada!

      Excluir
  8. Ué, Bruno...

    Qual a maneira que se coloca as coisas que te dá raiva? É errado explicar PORQUE algo não funciona? Ninguém tá proibindo nada. Vá lá, faça você e veja, com seu empenho e dedicação de anos, que NÃO funciona.

    É errado alertar isso às pessoas cientificamente ingênuas, deixando-as gastar suas vidas num sonho impossível, em que TODOS que tentaram, falharam?

    ResponderExcluir
  9. Por quê as pessoas não estudam?
    Não precisa ser numa escola. Os livros de princípios de física estão por aí. De graça.
    Muitas pessoas já tiraram dinheiro do nada, mas... energia do nada...ainda não apareceu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João,
      As pessoas não estudam, pois o estudo tira a certeza. Pra isso serve o acreditar, que é o "saber" do ignorante. Estudar significa ter dúvidas de mais alta ordem e ter certezas relativas, como a da potencial impossibilidade dessa tralha aí funcionar.

      Em suma, concordo contigo!
      Abraço

      Excluir
    2. Aí Juliano... Acreditar é o "saber" do ignorante... Essa daí é boa!

      abraço,

      Excluir