Parceiro

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Extração de águas subterrâneas pode ter ‘disparado’ o terremoto perto de Lorca, Espanha, em 2011

Terremoto perto de Lorca, Espanha, em 2011. Imagem: BBC

Terremoto perto de Lorca, Espanha, em 2011. Imagem: BBC
Em 11 de maio de 2011, nove pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas por um terremoto de magnitude 5,1, perto de Lorca, no sul da Espanha. Agora parece que o terremoto foi provocado pela atividade humana.
A forma, intensidade, profundidade são fatores que, adequadamente avaliados, podem fornecer aos sismólogos uma visão rara de como um terremoto pode ser desencadeado, e assim, dar uma nova esperança para as pessoas que tentam prever tais eventos . Pode até ser possível fornecer informações e métodos que permitam reduzir a força e a escala de tais abalos no futuro.
Sabemos que pequenos terremotos podem ter sido provocados por atividades humanas, como fracking , mas até agora não havia provas convincentes do envolvimento humano em grandes terremotos fatais.
O terremoto de Lorca foi invulgarmente raso, um ponto observado por Pablo González, da Universidade de Western Ontario, no Canadá, e seus colegas. Eles decidiram investigar se ele poderia ter sido provocado pela remoção de grandes quantidades de águas subterrâneas para irrigação. Isso fez com que o lençol freático Lorca fosse reduzido drasticamente.
Usando radar, para medir a deformação do solo causada pelo terremoto, González e seus colegas , identificaram o ponto onde o terremoto foi originado. Eles descobriram que envolveu cerca de 20 centímetros de deslizamento e ocorreu três quilômetros abaixo da superfície da Terra – um terço da profundidade que seria esperada para terremotos dessa magnitude.
A equipe então desenvolveu um modelo para simular o efeito da redução das águas subterrâneas em padrões de estresse na crosta. As tensões coincidiram a tal ponto com o padrão de ruptura visto no terremoto que a extração das águas subterrâneas deve ter acionado o evento, concluíram os pesquisadores.
González acrescentou que o terremoto teria acontecido, eventualmente, até mesmo se a água não fosse extraída, considerando as características tectônicas que, crescentes, eventualmente resultariam em ruptura.
Mesmo assim, o terremoto não poderia ter acontecido do jeito que aconteceu, se o lençol freático não estivesse explorado, diz Jean-Philippe Avouac do California Institute of Technology, em Pasadena, que não esteve envolvido no estudo. Ele acha que a evidência sugere que o evento foi mais raso do que teria sido sem a intervenção humana e, portanto, mais destrutivo.
Avouac concorda que o estresse na crosta da Terra tem de ser liberado de uma maneira ou de outra. Mas ele diz que a atividade humana – como a extração de água – pode causar o aceleramento do estresse, que pode ocorrer mais rápido, em vez de ser dissipado lentamente ao longo do tempo.
Uma parte fundamental de prever e possivelmente até mesmo controlar terremotos é entender o que pode acioná-los, Avouac acrescenta. Mesmo pouco provável na maioria dos eventos, a possibilidade de que a atividade humana está implicada em alguns eventos oferece novas oportunidades para investigação
ReferênciaThe 2011 Lorca earthquake slip distribution controlled by groundwater crustal unloading
Nature Geoscience (2012) doi:10.1038/ngeo1610
Do EcoDebate, com informações de Michael Slezak, do New Scientist
EcoDebate, 22/10/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros

Parceiros