Parceiro

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Comer menos carne beneficiaria o meio ambiente, reduzindo as perdas no ciclo de nutrientes

Comer menos carne beneficiaria o meio ambiente


Arte: SVMA

Um novo relatório sugere que reduzir pela metade o nosso consumo de produtos de origem animal pode beneficiar o meio ambiente, melhorando os ciclos de nutrientes.
O relatório [Our Nutrient World], encomendado pelo Programa de Meio Ambiente das Nações Unidas (PNUMA), analisou os problemas causados pela interferência humana nos ciclos naturais de nutrientes, tais como nitrogênio e fósforo.
“Assim como o ciclo do carbono é perturbado, os ciclos de nitrogênio e fósforo também são perturbados pela atividade humana. Isto se estes não são perturbados ainda mais. Dobramos o nitrogênio vai para o meio ambiente ao longo dos últimos 100 anos “, diz o professor Mark Sutton, do Centro de Ecologia e Hidrologia, principal autor do relatório.
Ele explica que quanto mais passos ocorrerem nos processos existentes na cadeia alimentar, mais oportunidades existem para que os nutrientes sejam perdidos em cada fase: a partir do fertilizante para plantas; das plantas para o animal, do animal para o processamento, etc, resultando na perda de uma fração de nutrientes de cada vez. Se as pessoas optarem por não comer carne ou por reduzir o consumo de carne e laticínios, isto também reduziria a perda de nutrientes na cadeia alimentar.
Reduzir o consumo pessoal de carne é apenas uma das 10 ações-chave do relatório, que sugere como seria possível reduzir a quantidade de nitrogênio que entra no ambiente.
“Se você analisar os números, é bastante surpreendente que do nitrogênio absorvido pelas plantas, 80 % do montante vai para a alimentação do gado. Apenas 20 % é destinado diretamente para a alimentação das pessoas, mostrando uma ineficiência enorme. “ Sutton insiste, “não se trata de ser vegetariano ou não, mas sobre o quanto a carne que você come possui impactos. É sobre ser deficitária.”
Ele explica que se você reduzir pela metade a quantidade de consumo de carne e laticínios, você ainda será um ‘comedor de carne’, mas terá reduzido o seu impacto no ambiente até pela metade.
O relatório apoia uma melhoria de 20 % na eficiência de nitrogênio, até 2020, o que reduziria o uso de fertilizantes nitrogenados em até 20 milhões de toneladas por ano. Os autores propõe um novo termo global, ’20:20 para 2020 “.
O relatório “Our Nutrient World” foi publicado pelo NERC Centre for Ecology and Hydrology, em conjunto com o Global Programme on Nutrient Management and the International Nitrogen Initiative. O relatório está disponível online em:http://initrogen.org/index.php/publications/our-nutrient-world/
O relatório também está disponível, no formato PDF e para download gratuito, na página do PNUMA (UNEP) em http://www.gpa.unep.org/component/docman/doc_download/255-our-nutrient-world.html?Itemid=139
Da redação do EcoDebate, com informações de Harriet Jarlett, do Planet Earth Online(Natural Environment Research Council)
EcoDebate, 18/02/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Parceiros

Parceiros